cana de açucar no brasil

Cana-de-açúcar no Brasil: entenda o panorama atual

A história da cana-de-açúcar no Brasil teve início no século 16, quando a planta foi introduzida nas terras brasileiras pelos colonizadores portugueses. Desde então, a cultura se tornou uma das mais importantes e representativas do agronegócio brasileiro, que corresponde a cerca de 40% da produção mundial.

Para que você entenda sua relevância, decidimos falar neste post sobre o panorama atual do cultivo de cana-de-açúcar no país. Continue a leitura para conferir os dados mais recentes sobre a produção nacional, analisar os desafios do cenário atual e conhecer as grandes tendências para o futuro do setor!

A produção de cana-de-açúcar no Brasil

Segundo dados da União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (UNICA), a safra 2019/2020, encerrada no último mês de abril, registrou a marca de 590,36 milhões de toneladas de material processado. O número é quase 3% superior ao registrado na safra anterior, demonstrando a tendência de crescimento na produção, que nos garante o status de maior produtor de cana-de-açúcar no mundo.

A associação destaca também a melhora na qualidade da matéria-prima, fato que reflete em um grande índice de disponibilidade para os processos produtivos. Essa é uma grande notícia para as mais de 400 usinas ativas, contabilizadas pelo levantamento do Nova Cana, que podem contar com um insumo de excelência para realizarem a transformação dos produtos finais.

É importante destacar que o cultivo da cana-de-açúcar no Brasil se concentra na região centro-sul do país, onde as condições climáticas e geográficas são mais favoráveis ao desenvolvimento da cultura. O estado de São Paulo é o que possui a maior área plantada, com cerca de 5,6 milhões de hectares, o equivalente a 55% do total no país.

Apesar dos reflexos causados pela crise do coronavírus, o setor se mantém altamente produtivo, o que faz das expectativas para a safra 2020/2021 animadoras. De acordo com a UNICA, a produção pode ser 3% superior ao ciclo anterior, superando a marca dos 600 milhões de toneladas processadas. Já a agência de dados financeiros Bloomberg aponta que os contratos futuros que têm a cana-de-açúcar como commodity acumulam valorização em 2020.

As possibilidades de produção a partir da cana-de-açúcar?

A cana-de-açúcar é a matéria prima de artigos muito relevantes para tanto para a economia quanto para o dia a dia de praticamente todas as pessoas. Evidentemente, um deles é o açúcar, o mesmo que não pode faltar em nenhuma cozinha.

Responsável por 20% da sua produção global e 45% da exportação mundial, o Brasil espera produzir um volume recorde de açúcar na safra atual. São esperadas em torno de 41 milhões de toneladas, um expressivo aumento frente aos 29,6 milhões registrados em 2019/2020.

Isso porque, diante dos preços pouco atrativos no mercado mundial, apenas um terço da colheita foi destinada a essa produção no último ciclo. No entanto, a crise provocada pelo coronavírus tende a aumentar a demanda desse mercado, justificando as expectativas positivas.

A verdade é que a preferência das usinas nos últimos anos foi pela fabricação de álcool etanol. Com os reajustes dos combustíveis por aqui seguindo as cotações internacionais, além da competitividade gerada pelo alto preço da gasolina, o cenário vinha se mostrando favorável para sua produção. Os números históricos registrados na safra 2019/2020 demostraram bem isso, quando foram produzidos mais de 31 bilhões de litros, entre etanol anidro e hidratado.

Contudo, as grandes restrições de circulação em nível mundial causadas pela pandemia impactaram a demanda pelo combustível. Frente a essa realidade, espera-se que a produção também diminua, reduzindo o volume de matéria-prima destinado a essa indústria.

Para além desses produtos mais tradicionais, muitos produtores que inovam na aplicação da cana-de-açúcar, demonstrando a versatilidade da planta. O plástico produzido a partir de seus componentes, por exemplo, é 100% reciclável e ajuda a reduzir os índices de dióxido de carbono na atmosfera. Há ainda iniciativas envolvendo a fabricação de óleos combustíveis, lubrificantes, detergentes e cosméticos.

Os principais desafios do setor

Como não poderia deixar de ser, a crise decorrente da pandemia de coronavírus representa um dos grandes desafios atuais para qualquer mercado. Ainda que o agronegócio seja um dos menos impactados, os possíveis reflexos, como a queda nas importações e na cotação dos produtos, precisam ser considerados pelos produtores.

A competição com outros países produtores também é motivo de atenção no planejamento dos agricultores e das indústrias locais. Quando falamos da cana-de-açúcar in natura, o Brasil é líder disparado, com mais do que o dobro de área cultivada e produtividade em relação à Índia, segunda maior produtora.

Em relação à produção de etanol, o país figura em segundo lugar, apenas atrás dos Estados Unidos, mas brigando por mercado também com os indianos. A disputa se repete na produção de açúcar, com a Índia liderando o ranking e o Brasil na segunda posição.

3 tendências para o futuro

Veja agora as principais tendências da agricultura que certamente refletirão na produção de cana-de-açúcar.

1. Sustentabilidade

Com o grande apelo pelas práticas sustentáveis em todos os aspectos da nossa vida, as possibilidades oferecidas pela cana-de-açúcar ganham um lugar de destaque no mundo atual. Por ser uma fonte renovável de diversos produtos, a tendência é que ocorra um aumento expressivo na busca pelos artigos derivados dessa cultura.

O Renovabio, nova Política Nacional de Biocombustíveis, instituída pela Lei nº 13.576/2017, cujo objetivo é expandir a produção de biocombustíveis no Brasil, deve alavancar ainda mais a utilização de combustíveis renováveis como o etanol, com o objetivo reduzir as emissões de gases de efeito estufa no país.

Esse cenário estimula ainda diversos pequenos negócios que apostam no cooperativismo para uma produção mais consciente, tanto no que se refere aos temas sociais quanto aos impactos ambientais.

2. Investimento em tecnologia

Outra tendência que não pode ser ignorada é o investimento em tecnologias que ajudam a aumentar a produtividade das lavouras. Escolhendo as máquinas e recursos certos, é possível implementar melhorias que permitem potencializar os resultados sem a necessidade de ampliar a área plantada.

3. Pesquisa e desenvolvimento

A base para qualquer melhoria é sempre a pesquisa e o desenvolvimento de novas práticas e tecnologias. Por isso, os produtores que investem nessa tendência saem na frente quando o assunto é inovação no campo. Entre as principais vantagens que podem ser obtidas com esse apoio podemos citar a melhor seleção de insumos, utilização adequada de defensivos e fertilizantes e a recuperação mais rápida do solo.

Além dos fatores que tratamos aqui neste post, existem outras dicas importantes para que aqueles que produzem cana-de-açúcar no Brasil consigam otimizar os seus resultados, especialmente com foco na agricultura sustentável.

Quer saber quais são? Então, confira agora o nosso post e entenda como aumentar a produção de cana-de-açúcar!

Powered by Rock Convert

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.