compensação ambiental

Compensação ambiental: o que é e por que me preocupar?

O guia completo das melhores práticas de adubação

A implementação de políticas como a compensação ambiental está se tornando cada vez mais popular, pois é benéfica às empresas em termos de relações públicas, marketing e até de adequação à legislação. O movimento verde tem visto um crescimento significativo desse aspecto nas últimas décadas.

A lógica por trás dessas políticas é que as indústrias e empresas sejam obrigadas a pagar pelos prejuízos ambientais que causam. Dessa forma, a esperança é que se construa um cenário mais equilibrado e sustentável. Então, se você deseja saber mais sobre isso, fique de olho no post!

O que é compensação ambiental?

Compensação ambiental é o termo empregado para se referir ao processo de reparar os impactos ambientais provocados para fornecer um produto ou serviço. Em outras palavras, significa dizer que as empresas devem pagar pelos danos que geram.

Essa determinação está prevista na Lei n 9.985/2000, que obriga os empreendimentos a arcarem com o prejuízo ambiental de suas atividades. É o Ministério do Meio Ambiente que calcula os valores devidos de acordo com o nível de impacto causado.

Apesar disso, a compensação ambiental não impede o dano propriamente dito. Essa medida apenas faz com que as empresas tentem minimizar os impactos ambientais.

Para compensar as consequências geradas, muitos empreendimentos optam por implementar políticas ambientais próprias. Tais ações incluem não apenas compensação financeira, mas também compensação por emissões de carbono, uso de água e outros danos.

Como isso funciona?

Como você deve ter percebido, esse é um processo que envolve as empresas tomando medidas para reduzir o impacto de suas operações, produtos e serviços no meio ambiente. A ideia por trás desse sistema é justamente ajudar as empresas a mitigar o impacto ambiental provocado por elas, reduzindo o desperdício, o consumo de energia e água, além de aumentar a reciclagem e a reutilização de materiais.

Então, isso pode ser feito por até, basicamente, três meios: as unidades de conservação, o valor de compensação e a compensação ambiental em áreas preservadas.

Unidades de conservação

As unidades de conservação visam garantir a preservação da biodiversidade de uma área. Para tanto, elas precisam de recursos para isso, que são levantados e operados pelas empresas causadoras de mais impacto ambiental negativo.

Valor de compensação

O valor de compensação é uma quantia que o empreendedor deve pagar e é destinada a um Fundo de Compensação Ambiental. Ela é usado para:

  • regularizar e demarcar terras;
  • elaborar, revisar ou implantar planos de manejo;
  • comprar os insumos necessários para a proteção das áreas de compensação;
  • desenvolver os estudos para a criação de novas unidades de conservação;
  • implementar pesquisas para o manuseio dessas regiões.

Compensação ambiental em áreas preservadas

Já a compensação ambiental em áreas preservadas, por sua vez, são esforços efetuados em territórios específicos que não ficam, necessariamente, nos locais degradados. Em tais espaços, é feito o replantio de áreas como a Mata Atlântica, por exemplo. Assim, as empresas arcam com os custos e obtêm algum tempo de compensação.

Compensação informal

Além disso, há a compensação ambiental informal, a qual pode ser alcançada com uma variedade de métodos, como:

  • a redução do consumo de energia na empresa;
  • a utilização de fontes de energia renováveis;
  • a reciclagem de materiais;
  • o emprego de materiais reciclados nos processos de fabricação;
  • a utilização de materiais reciclados nos processos de embalagem e distribuição;
  • a diminuição da geração de resíduos e a reutilização do material residual etc.

Por que esse assunto está cada vez mais em alta?

A compensação ambiental está aumentando à medida que mais pessoas estão se conscientizando do impacto que seu estilo de vida e as atividades empresariais, industriais e agrícolas têm no meio ambiente. Para reduzir tais consequências, é necessário adotar novos comportamentos e priorizar a aquisição de produtos e serviços mais amigáveis ao meio ambiente.

Além disso, a compensação ambiental está tornando as empresas mais conscientes de sua pegada de carbono, ao mesmo tempo em que as impulsiona a criar projetos mais sustentáveis. A forma mais comum de compensação ambiental, por exemplo, é a compensação de carbono, que garante que pelo menos a mesma quantidade de CO2 emitida a cada ano seja absorvida.

Um exemplo de compensação de carbono em ação é uma companhia aérea comercial. Se o voo comercial de uma empresa contribui com uma tonelada de gases de efeito estufa, ela pode compensar e investir em projetos que vão gerar mais do que compensar a mesma quantidade de emissões.

Como colocar a compensação ambiental em prática?

Não existe uma abordagem única para a ideia de compensação ambiental. Isso significa que a melhor estratégia para tornar sua empresa um negócio ambientalmente consciente é um pouco de pesquisa e criatividade.

Mas, em geral, existem alguns passos que podem ser adotados para facilitar a jornada. Fique de olho neles!

Defina objetivos

Entenda quais são os principais danos causados pelo seu negócio e os riscos que eles provocam. A partir daí, é importante pensar nas consequências negativas que a empresa gera e definir quais serão as medidas para mitigá-las. O seu objetivo é diminuir os prejuízos ambientais na fonte? Ou você só vai focar na compensação posterior dos prejuízos ambientais?

Escolha meios de compensação

De qualquer maneira, seu negócio vai acabar provocando alguns danos ao meio ambiente. Para esses casos, é preciso optar pelos meios de compensação que melhor se encaixam na realidade do empreendimento. É crucial ter em mente que a escolha desses meios não equivale a uma permissão para poluir. Essa é apenas uma medida para diminuir os impactos ambientais, mas o ideal é que eles sejam eliminados na fonte.

Elabore um Projeto de Compensação Ambiental

Este tipo de projeto é vantajoso para todos os envolvidos. Ele ajuda as empresas a economizarem dinheiro e, ao mesmo tempo, contribuírem com o meio ambiente, reduzindo a poluição, o desperdício de água e os aterros sanitários.

Ele deve apresentar algumas medidas que sirvam para amenizar os efeitos negativos que um negócio gera por meio das suas operações. Se esses danos já tiverem sido provocados, serão determinadas ações corretivas, mas, senão, é possível compensá-los.

A compensação ambiental se tornou uma solução valiosa para aquelas empresas que operam nos setores mais poluentes do mundo. Por exemplo, isso pode incluir usinas de energia ou mesmo silvicultura. Alguns outros países têm uma política de limitar as emissões e exigir que as empresas obtenham compensações de carbono para cumprir a lei, como acontece aqui no Brasil.

As empresas também podem comprar compensações de carbono de organizações ou indivíduos externos, em vez de investir em seus próprios projetos. Isso é realizado comprando créditos de carbono de uma organização ou compensando as emissões plantando árvores e pagando pelo sequestro resultante.

E se você atua com produtos alimentícios, não deixe de saber a melhor forma de descartar os alimentos perdidos na colheita!

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.