Conheça as melhores práticas no uso de pulverizadores agrícolas

Conheça as melhores práticas no uso de pulverizadores agrícolas

Os pulverizadores agrícolas são equipamentos importantíssimos para a produção agrícola. Utilizados na aplicação de agroquímicos que protegerão as lavouras, eles estão disponíveis para todo tipo de cultura e de tamanho de propriedade rural.

Com tantas opções, muitas vezes um produtor pode achar difícil saber exatamente qual é a melhor aquisição para as suas necessidades e as melhores práticas de uso desses equipamentos.

Essas escolhas dependerão do que é cultivado, do tamanho da área da lavoura e, claro, do orçamento disponível. Neste artigo, falaremos sobre pulverizadores agrícolas e como otimizar o seu uso na prática. Confira!

Como escolher um pulverizador

O pulverizador é o equipamento que vai trabalhar mais durante o ciclo produtivo de uma lavoura. Enquanto a adubação e a colheita só acontecem uma vez em cada ciclo, a pulverização é constante. Logo, a sua escolha deve ser cuidadosa e pensada para atender com exatidão às demandas do produtor.

Em culturas perenes, como do café, da pimenta, da laranja e de outras frutas, a recomendação é a utilização dos chamados Turbo Pulverizadores, equipamentos que se constituem por sistema de pulverização com assistência de ar, colaborando com maior penetração da pulverização no interior da cultura.

Em culturas anuais como a soja, a batata e o milho, os costais não são recomendados, com exceção de propriedades realmente muito pequenas. Os pulverizadores agrícolas de barra é que serão utilizados na maior parte dos casos.

Enquanto nas culturas perenes o equipamento se difere pelo tamanho do tanque, dos ventiladores e a forma de transporte da pulverização (devido aos diferentes espaçamentos e arquitetura das culturas), no caso das culturas anuais, quanto maior a lavoura, maior deve ser o pulverizador. Barras maiores reduzem as perdas pelo amassamento e fazem com que o veículo rode relativamente menos, deixando a operação proporcionalmente mais barata.

A área da propriedade é o fator que mais determina a escolha do pulverizador de barra. Um equipamento grande demais pode ser um desperdício em algumas lavouras, mas, no geral, uma barra maior faz com que o veículo rode bem menos, o que ajuda a economizar combustível e tempo.

Na hora de optar por um pulverizador, também vale a pena conferir seu consumo de combustível e gastos com manutenção. Uma máquina muito sofisticada até pode conseguir bons resultados, mas se ela utilizar componentes automotivos simples, que são fáceis de encontrar e mais baratos, o custo total para o agricultor será menor.

Por fim, além do tamanho da área, também é importante checar se a máquina é adequada ao tipo de cultura e aos agroquímicos que serão utilizados nela. Geralmente, os equipamentos disponíveis no mercado são bem versáteis, mas sempre confira antes de fechar a compra para não correr o risco de adquirir um “elefante branco”.

Como otimizar a pulverização

A pulverização é uma atividade que acontece regularmente durante o ciclo de produção. Com base em experiências anteriores, o suporte de agrônomos e condições climáticas e ambientais, é possível antecipar quais são os maiores riscos de pragas para determinados tipos de lavoura.

A pulverização de agroquímicos pode acontecer em qualquer momento da cultura. O que determinará sua aplicação é o planejamento feito pelo agricultor e possíveis eventualidades, como o surto de alguma praga.

Teoricamente, existem condições ideais para a aplicação dos agroquímicos. Mas, na prática, muitas vezes será necessário utilizar os pulverizadores agrícolas em condições adversas, seja por necessidade imediata, seja por otimização de custos.

Independentemente disso, o melhor é sempre seguir um processo regular de preparação e operação a fim de otimizar o uso dos pulverizadores agrícolas.

O primeiro passo é a escolha do produto que será aplicado, determinado de acordo com a cultura e as pragas que precisam ser combatidas. Depois que o agroquímico é definido, é hora de verificar as condições da máquina que será utilizada.

Devem ser checados os filtros do sistema de pulverização, a agitação do tanque, se existe algum tipo de vazamento e se todas as revisões regulares estão em dia.

É fundamental fazer essa conferência antes da operação, porque nem sempre a máquina estará no mesmo estado desde a última utilização. Qualquer falha pode causar prejuízos com desperdícios do agroquímico e danos na lavoura, ou, em alguns casos, até colocar a saúde dos operadores em risco.

Como regular os pulverizadores agrícolas

Uma vez que a checagem foi feita, é hora da regulagem do pulverizador. É preciso preparar a dosagem correta de aplicação do produto, que normalmente já é estabelecida pelo fabricante. Depois disso, é importante calibrar o equipamento para que ele aplique esse volume de acordo com velocidade, marcha de trabalho e outros fatores.

Nessa etapa do processo, também são definidos outros aspectos como a velocidade, a pressão e o tamanho da gota, que está relacionado à escolha do modelo de bico de aplicação.

Os dois parâmetros principais que vão balizar o tamanho da gota são o tipo de agroquímico e o atual estágio da cultura. Com base nesses aspectos, é possível determinar qual será o bico de aplicação mais recomendado a cada operação de pulverização.

Por fim, para uma pulverização efetiva, é essencial verificar as condições climáticas. A regra é que, para a aplicação com pulverizadores agrícolas de barra, o vento esteja abaixo de 10 km/h, e a umidade relativa do ar acima de 50%.

Se não for possível esperar condições ideais, a pulverização em um momento adverso é até viável, mas é importante saber que isso pode diminuir a sua eficácia e aumentar a deriva.

Dependendo da situação, pode valer a pena inclusive alterar o modelo de bico de aplicação para pulverizações em condições adversas, nas quais a ausência dos agroquímicos causará um prejuízo maior em razão das pragas.

Em média, uma praga não tratada pode trazer uma perda de 40% da produção de uma lavoura. Alguns casos são ainda mais drásticos, como o da ferrugem asiática da soja, que chega a devastar 90% da cultura. Logo, a utilização de pulverizadores agrícolas é essencial para uma boa produtividade no campo.

Agora que você já sabe qual é a importância dos pulverizadores agrícolas e como potencializar o seu uso, aproveite para assinar nossa newsletter e ficar por dentro dos melhores conteúdos sobre agricultura e agronegócio! Esperamos você!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This