Controle de qualidade na agricultura: veja quais são as melhores práticas!
controle de qualidade na agricultura

Melhores práticas no controle de qualidade na agricultura

Desenvolver e manter processos bem definidos de controle de qualidade na agricultura são ações fundamentais para garantir a competitividade do produtor no mercado. Essa estratégia combate a desvalorização comercial dos produtos, garante maior qualidade de trabalho para os colaboradores, menor custo operacional e maior satisfação do consumidor final.

Mas o que é qualidade na agricultura? Quando um usuário avalia um produto, ele observa diversos fatores, especialmente aparência, sabor e processo produtivo. Esses aspectos estão nas mãos do produtor, e determinam também o custo-benefício da aquisição.

Por isso, produtos equivalentes podem ter diferentes precificações. Então, como você pode fazer o controle de qualidade dos processos agrícolas desde o início da produção até a entrega dos alimentos para o fornecedor? É isso que explicamos neste artigo. Confira!

Por que fazer o controle de qualidade na agricultura?

O controle de qualidade na agricultura pode garantir alimentos mais saudáveis, práticas mais sustentáveis de cultivo e um conjunto de outras ações que agregam valor ao produto comercializado, o que ajuda o produtor rural a ganhar seu espaço no mercado.

A segurança alimentar, fruto da qualidade nos processos agrícolas, é uma das grandes preocupações dos consumidores atualmente. Por um lado, isso fica evidente no aumento do público interessado nos meios de produção. Temas como práticas de higiene, métodos e cultivo, aplicação de defensivos e biotecnologia têm se tornado cada vez mais frequentes. A discussão reside em até que ponto esses aspectos afetam a saúde do consumidor.

No meio dessa corrente, os governos se veem pressionados a implantar medidas que assegurem o correto manejo dos alimentos por meio de legislações mais rigorosas que regem o uso de agentes físicos, químicos e microbiológicos. Por esse motivo, diversos órgãos públicos estão envolvidos no processo de verificação de qualidade dos alimentos.

No Brasil, a produção de alimentos passa por um intenso processo de avaliação e controle feito por diferentes setores e especialistas, como engenheiros agrônomos e médicos veterinários. Podemos destacar no setor público o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a Vigilância Sanitária e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Ministério da Agricultura fomenta políticas de estímulo à agropecuária e ao agronegócio. Uma de suas responsabilidades é garantir a segurança alimentar dos brasileiros e dos produtos exportados. No geral, a fiscalização ocorre em indústrias de origem vegetal ou animal.

Já a Anvisa é uma autarquia que promove a saúde da população por meio do controle sanitário de serviços e produtos fornecidos por empresas brasileiras e estrangeiras. Fiscais visitam os locais de produção e venda para analisar as condições dos ambientes, processos, tecnologias e insumos utilizados.

As vigilâncias sanitárias atuam nas esferas estaduais e municipais. No âmbito de produtos alimentícios, as equipes fiscalizam matérias-primas, processos, utensílios e embalagens. Em todo o caso, o empreendimento que for analisado e reprovado por expor o consumidor a algum risco alimentar pode ter suas portas, ou porteiras, fechadas.

Assim, garantir as melhores práticas de controle de qualidade na agricultura é mais do que uma questão de vantagem competitiva. É uma preocupação de saúde pública, ética e respeito ao meio ambiente. Então, considere as melhores práticas relacionadas.

Quais são as melhores práticas no controle de qualidade na agricultura?

No controle de qualidade, podemos separar as melhores estratégias com base na etapa ou no foco das operações.

Preparação do solo

Antes do plantio:

  • prepare o solo adotando técnicas de manejo condizentes com o clima e as características do solo, e segundo as orientações do agrônomo responsável;
  • utilize fertilizantes registrados no MAPA, conforme as recomendações técnicas;
  • realize a análise química e física do solo para aplicar uma adubação adequada.

Pulverização

Para controlar doenças e pragas;

  • priorize o Manejo Integrado de Pragas (MIP);
  • utilize defensivos agrícolas registrados para a cultura;
  • busque métodos alternativos de controle para eliminar plantas invasoras, buscando o menor dano possível ao meio ambiente e à saúde dos funcionários;
  • cuide para que os defensivos sejam armazenados segundo as indicações do Receituário Agronômico, seguindo as recomendações dos rótulos das embalagens.

Colheita

Em operações de colheita:

  • adote sempre as melhores práticas para evitar a proliferação de fungos e outros agentes biológicos, físicos ou químicos que possam contaminar os alimentos;
  • realize a colheita sempre quando a planta atingir a maturidade ideal;
  • leve em conta as especificidades da cultura para preservar sua qualidade e reduzir as perdas;
  • adote métodos de pré-limpeza durante e após a colheita.

Embalagem e logística

Ao embalar e transportar os produtos:

  • pesquise e implemente sistemas de rastreabilidade para registrar a origem da produção e outros detalhes pertinentes, como fornecedor, região produtora, dados técnicos e safra;
  • utilize embalagens e veículos apropriados para o transporte e adequados a cada tipo de cultura;
  • reduza ao máximo o tempo de transporte entre a fazenda e o local de beneficiamento;
  • garanta condições ideais de umidade e temperatura durante todo o processo logístico;
  • aloque os produtos embalados sobre estrados ou paletes e distantes das paredes e do teto a fim de garantir a circulação do ar e facilitar o acesso para controlar pragas.

Industrialização

Mesmo após a industrialização dos produtos, o cuidado não pode ser negligenciado. Por isso:

  • garanta a higienização e esterilização adequada das embalagens e recipientes em que serão armazenados;
  • mantenha o controle de rastreabilidade dos produtos após a industrialização.

Como implementar um sistema de gestão de qualidade?

Para a implementação de um sistema de controle de qualidade na agricultura é importante que o produtor eleja um responsável pelo processo, desde o planejamento até a avaliação. Ele fará um cronograma do trabalho, promovendo metas, treinamentos e esquemas de manutenção.

É importante adotar ferramentas e indicadores que o ajudem a mensurar o desempenho dos processos, identificar as falhas e problemas causadores. Essa avaliação deve perpassar todas as etapas do ciclo produtivo, como compra de insumos, adubação, plantio, pulverização, colheita e cadeia de distribuição.

Todos os processos devem ser avaliados para considerar maneiras de reduzir custos e desperdícios e aumentar a qualidade dos produtos entregues ao consumidor.

Assim, chegamos a um estágio de produção agrícola que não basta produzir muito. Por meio das melhores práticas de controle de qualidade na agricultura, conseguiremos entregar bons itens, que garantam não só a segurança alimentar, mas também a satisfação dos consumidores.

Gostou das dicas? Assine a nossa newsletter e não perca nenhuma novidade do blog!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This