Gestão de indicadores na agricultura: veja quais são suas vantagens!
Gestão de indicadores na agricultura

Conheça 6 vantagens ao fazer a gestão de indicadores na agricultura

A gestão de indicadores na agricultura (KPIs) é uma das principais ações responsáveis por fomentar o crescimento do negócio. O produtor precisa ser capaz de selecionar os dados mais importantes para a sua produção e monitorá-los, afinal, métricas e indicadores já são ferramentas que fazem parte do dia a dia do agronegócio. 

A safra é feita de números, e basta saber utilizar essas informações para a tomada de decisões. Neste post vamos apresentar 6 vantagens que a gestão de indicadores pode gerar para a sua fazenda. Continue a leitura e saiba mais!

Entenda a importância da gestão de indicadores na agricultura

Só dá para aprimorar aquilo que é possível mensurar. Números concretos fazem o gestor sair da subjetividade em suas decisões e agir em conformidade com dados exatos. Os indicadores ajudam o agricultor a monitorar as diversas operações do campo e, com isso, definir estratégias que aumentam a produção e corrigem falhas.

Isso se torna um grande desafio para o agricultor brasileiro em um cenário em que a maioria dos negócios surgiu de uma gestão familiar. O risco surge quando se dispensa o auxílio de profissionais que têm tanto conhecimentos técnicos sobre a produção quanto visão de mercado.

Conheça 6 vantagens dos indicadores do agronegócio

Adotar indicadores auxilia o produtor nas mais diversas áreas do negócio, como vendas, produção, aplicação de insumos e compras. Considere, então, os principais KPIs e saiba como eles podem contribuir para uma gestão mais sustentável.

1. Determina a margem de lucro

A margem de lucro se refere a toda receita que o seu negócio gera após a dedução de despesas e custos operacionais. Trata-se de um indicador muito valioso para comparar o retorno financeiro que diferentes fazendas ou safras podem gerar.

O lucro operacional pode ser calculado por hectare, dando uma visão clara de quanto dinheiro uma cultura é capaz de produzir em determinado espaço geográfico e temporal.

Assim, uma safra pode ter produzido uma grande receita, mas se os custos operacionais forem muito altos, o lucro não será tão significativo e o negócio pode estar em risco. Por isso, levantar esses dados é de extrema importância.

2. Calcula a média de consumo

Quanto a sua fazenda gasta por ano com energia elétrica, água, combustível, defensivos e outros insumos? Quando você aplica essas métricas, é possível saber exatamente o volume de gastos e entender quando o consumo está sendo excessivo. A partir daí, basta avaliar que setores ou operações podem ter seu consumo otimizado.

3. Faz um levantamento do rendimento do estoque

Calcular o rendimento da sua produção é essencial para definir um valor viável e competitivo na comercialização da sua safra. Além disso, ao compreender bem o volume da sua produção, é possível identificar algumas falhas ou tentar iniciar estratégias que elevem o rendimento da cultura.

O rendimento pode ser calculado por sacas ou toneladas por hectare. A partir dessa avaliação, o agricultor pode monitorar os resultados das diversas atividades do campo e estabelecer uma relação de custo-benefício.

4. Monitora o volume de defensivos aplicados por área

Os defensivos agrícolas são um dos principais investimentos para garantir uma boa produtividade, protegendo a safra de doenças e pragas que poderiam comprometer os resultados. No entanto, eles também são grandes fontes de custos para a produção, de modo que é importante que o produtor saiba a relação existente entre a quantidade de defensivos aplicados por área e o rendimento que a mesma área dará.

Com esses dados em mãos é possível determinar se os gastos estão sendo excessivos ou não. Se estiverem significativamente altos, é possível investir em tecnologias e métodos que otimizem a aplicação de defensivos, na dose certa e no lugar mais adequado.

Além disso, formas alternativas de controle de pragas na lavoura, como o plantio direto e o manejo integrado de pragas, podem reduzir a quantidade de defensivos no talhão.

5. Controla a qualidade e a quantidade dos pedidos

Esse indicador comercial ajuda o produtor rural a monitorar os critérios qualitativos e quantitativos na distribuição dos seus produtos. Fica mais fácil entender em que condições o produto está chegando para o consumidor final.

Ter essa ciência é fundamental para identificar a necessidade de aprimorar as operações e desenhar a cadeia de distribuição de forma mais eficiente.

6. Mapeia a lavoura por meio do georreferenciamento

Os indicadores de georreferenciamento são importantes especialmente em grandes propriedades, cuja gestão é mais complexa. Essa ferramenta ajuda a mapear a lavoura e determinar quais áreas têm mais ocorrências de pragas e doenças, por exemplo. Outra possibilidade é criar mapas de fertilidade fazendo análises do solo.

Assim, operações de pulverização e adubação ficam mais bem direcionadas — evita-se gastar mais em áreas já bem tratadas e deixar de cuidar de locais mais críticos.

Veja as melhores práticas para aprimorar a gestão de indicadores

Selecionar, reunir e analisar tantos dados não é tarefa tão fácil. A inteligência desse tipo de gestão vem não só de ter em mãos esses registros, mas de convertê-los em informações valiosas para a tomada de decisões.

Nesse momento, as novas tecnologias são grandes aliadas do produtor rural, pois automatizam boa parte dessas tarefas. Há softwares e aplicativos, por exemplo, que ajudam a mensurar e analisar os dados. São sistemas que acolhem diversos indicadores relativos à atividade agrícola.

As vantagens desses softwares em relação a planilhas são:

  • ganho de tempo na inserção e na análise de dados;
  • agilidade no acesso aos registros;
  • menos riscos de perder informações;
  • visualização facilitada por meio de gráficos, indicadores claros e emissão de relatórios detalhados;
  • clareza na gestão dos custos.

O que pode potencializar os resultados obtidos por meio dos softwares e aplicativos é o investimento em maquinários com diferenciais. Eles embarcam dispositivos que extraem dados precisos sobre a operação realizada.

Dentro da agricultura de precisão, por exemplo, sensores podem se conectar às máquinas para reunir dados sobre temperatura, umidade relativa, pressão de óleo, consumo de combustível, entre outros.

Outro aspecto a ser considerado para aprimorar a gestão de indicadores na agricultura é a capacitação profissional dos colaboradores. Não se trata apenas de ter conhecimento suficiente para operar novas máquinas disponíveis no mercado: existe uma grande demanda também por profissionais que saibam analisar dados desses KPIs e transformá-los em estratégias e decisões para o negócio.

A boa gestão de indicadores na agricultura é indispensável para o negócio crescer e elevar a produtividade da safra. Citamos aqui apenas algumas das principais vantagens desses KPIs, mas existem centenas de métricas, e o gestor precisa selecionar aquelas que são mais compatíveis com os seus objetivos.

Que indicadores você mais utiliza na sua propriedade? Compartilhe conosco essa informação nos comentários deste post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This