Guia rápido da adubação: aprenda as principais técnicas.

O guia completo das melhores práticas de adubação

O termo adubação, muito popular quando o assunto é cultivo de plantas, apesar de ser um processo simples, requer alguns pontos de atenção que farão toda a diferença na saúde, crescimento e desenvolvimento das plantas. 

Qual a importância da adubação? Quais os benefícios para a planta? 

É interessante entendermos que as plantas, em seu habitat e condições naturais, são nutridas e assistidas pela complexidade e perfeição da natureza. Sem a interferência do homem, as plantas se estabelecem somente em ambientes favoráveis ao seu crescimento, seja condições de temperatura e umidade, incidência de raios solares, sinergia entre plantas, nutrientes disponíveis, entre várias outras características. 

Interferência Humana

A partir do momento em que as retiramos do seu lugar de origem ou modificamos suas características, seja para deixá-las resistentes a pragas, doenças e condições de estresse ou mesmo para favorecer o desenvolvimento de seus frutos ou partes comerciais, estes vegetais, além de sofrerem alterações em suas necessidades, acabam se tornando mais sensíveis às intempéries, ou seja, devemos considerar a planta como um sistema complexo e integrado. Quando se modifica uma característica, o sistema como um todo é influenciado com possíveis efeitos colaterais

Acontecimentos Naturais

É importante notar também que certos acontecimentos reduzem a quantidade de nutrientes naturalmente ou artificialmente presentes no solo. Temporadas de fortes chuvas podem “lavar” a superfície do solo, chamada de lixiviação. A colheita de certos cultivos também remove uma grande parte desses nutrientes. É válido sempre ficar de olho em eventos dessa natureza. 

Levando em conta essas informações, uma adubação adequada é aquela capaz de atender todas as necessidades nutricionais da planta e é essencial para garantir a qualidade do que está sendo produzido. Uma planta bem nutrida, é uma planta saudável e mais resistente a pragas e doenças, proporcionando maior produtividade ao agricultor. 

Para saber mais, continue lendo esta matéria, onde abordaremos mais sobre os aspectos nutricionais das plantas. 

O que fazer antes de adubar? 

Além de conhecermos as necessidades das plantas, entender as condições do ambiente é fundamental para uma adubação ideal. Neste sentido, a preparação e análise de solo são ferramentas importantes para que possamos traçar estratégias para favorecer o desenvolvimento e produtividade da planta de interesse. 

A área onde será feito o cultivo deve sempre estar bem limpa, livre de pedras, restos vegetais e ser bem roçada. Essa limpeza deve ser feita pelo menos duas vezes ao ano. 

Planejar é essencial!

Certificando-se que as outras condições ambientais estejam favoráveis a espécie escolhida, com o resultado da análise de solo em mãos, podemos iniciar nosso planejamento de adubação, considerando fatores como por exemplo, quais as diferentes necessidades nutricionais de acordo com seu estádio vegetativo, nível de acidez do solo, quais os nutrientes deficientes ou em excesso, qual a população ou densidade de plantas por área e qual a finalidade do cultivo

Considerando os aspectos citados anteriormente, entre outros, faz-se a escolha do adubo, fertilizante ou corretivo de solo. Com a definição do produto que será aplicado, é necessário considerar também as condições climáticas favoráveis para esse tipo de aplicação. 

Com qual frequência devemos adubar?  

Basicamente, temos a disponibilidade de condicionadores e corretivos de solo, fertilizantes orgânicos, minerais ou a combinação destes que podem estar na forma líquida, em pó, gel ou granulada. 

Seu estado físico, assim como a fonte dos nutrientes escolhidos, possui características de disponibilidade diferentes, alguns prontamente disponíveis, porém com curta duração e outros, com liberação mais lenta e gradual, mas, com capacidade de fornecer nutrientes por mais tempo. E é justamente este grande número de opções que nos permite traçar estratégias para melhor atender as necessidades das plantas durante todo o seu ciclo. Sendo assim, a frequência da adubação dependerá do produto escolhido. 

Por que não devemos fazer a adubação com as mãos?  

  • A pessoa entra em contato direto com o insumo, o que pode acarretar problemas de saúde. 
  • Não há precisão de quantidade, nem local aplicado (não garante uniformidade).  

A desvantagem de aplicar mais adubo do que necessário, vai além do prejuízo financeiro, podendo resultar num desequilíbrio tanto na parte química como na biologia do solo. Este desbalanço pode causar indisponibilidade de nutrientes ou mesmo deixá-los a níveis tóxicos e prejudiciais às plantas. No entanto, quando se aplica menos adubo do que necessário, a planta pode não se desenvolver tanto quanto o esperado e resultar na perda de produtividade. 

Dica do Especialista 

Pensando na saúde da planta, e contribuindo na maximização do rendimento operacional em campo, a Jacto desenvolveu uma linha distribuidores de grânulos manuais e a bateria, que possibilitam aplicar fertilizantes ou sementes, de forma mais homogênea, evitando contato direto com os insumos. 

Jacto GM-1 (clique aqui e saiba mais) 

Esse aplicador de granulados possui um mecanismo de regulagem que permite ao operador distribuir doses localizadas de 0,5 a 3g, dependendo da necessidade do cultivo. Além disso, suas duas opções de reservatório, de 1 e 18l, permitem seu uso tanto em pequenas quanto grandes propriedades. 

Uma imagem contendo grama, ao ar livre, pequeno, água

Descrição gerada automaticamente
Jacto GM-1 

Jacto GM-2 (clique aqui e saiba mais) 

Com uma mangueira de 1,30m e o aplicador de 1,18m, o Jacto GM-2 revolucionou a maneira de aplicação localizada de grânulos no solo. Ele permite a regulagem de doses entre 5 e 20g. Seu reservatório possui capacidade para 18l, além disso, seu interior foi projetado com materiais resistentes à ação corrosiva dos insumos. A mangueira flexível e o longo aplicador, combinado com a ergonomia do equipamento, permitem que o aplicador permaneça em posição confortável e ereta durante toda a operação! 

Uma imagem contendo ao ar livre, pessoa, homem, grama

Descrição gerada automaticamente
Jacto GM-2 

Jacto GM-3 (clique aqui e saiba mais) 

Abastecido por um reservatório com capacidade de 3l, o nosso distribuidor de grânulos portátil possui um sistema de regulagem com 05 níveis de abertura e modo de aplicação em faixa de até 3,5m, dependendo do produto utilizado. Equipado com suporte para o braço, proporciona maior ergonomia ao operador.  

“O Jacto GM-3 foi desenvolvido com material leve e resistente, ideal para longas jornadas de trabalho no campo e para profissionais que procuram praticidade no dia a dia”, comenta Caio Eiti Nishida, o especialista de produtos de distribuidores de grânulos da Unidade de Equipamentos Portáteis da Jacto.  

Homem em pé no meio do mato

Descrição gerada automaticamente
Jacto GM-3 

Jacto GM-12 (clique aqui e saiba mais) 

De forma altamente eficaz, esse aplicador de grânulos é perfeito para o produtor que tem a necessidade de fazer aplicação incorporada no solo. Esse equipamento perfura o solo em até 8 cm de maneira prática, permitindo a aplicação de doses de 12 a 115g, seja qual for a necessidade do cultivo. Seu reservatório de 18l pode receber diversos tipos de granulados secos, não só fertilizantes, como também inseticidas e nematicidas. O Jacto GM-12 é perfeito para produtores de hortaliças, pinus, café e muitos outros! 

Uma imagem contendo ao ar livre, grama, menino, pequeno

Descrição gerada automaticamente
Jacto GM-12 

Jacto GB-18 (clique aqui e saiba mais)

O primeiro distribuidor de grânulos a bateria, esse distribuidor de grânulos a bateria é o que há de mais tecnológico na hora de aplicar insumos secos e sólidos aos seus cultivos. 

Preciso e inovador, esse equipamento possui um joystick que regula a dosagem, a vazão e a faixa de aplicação em seus três modos (em linha, localizado e a lanço). Ele abrange de 1,10 a 2,10m e permite aplicar doses de 30 a 300g dependendo da necessidade do cultivo. 

O Jacto GB-18 também foi desenvolvido pensando no conforto e na ergonomia do operador. Suas alças almofadadas permitem que o peso do equipamento seja dividido uniformemente pelo corpo. Seus tubos prolongadores são ajustáveis para se adequar à altura do operador.  

Seu reservatório tem capacidade para 18l, além de ter sido fabricado com revestimento interno, resistente à ação corrosiva dos insumos. A bateria recarregável de Li-íon permite autonomia para mais de um dia de trabalho e é recarregada em 2 horas.  

Todos esses diferenciais garantem a maior eficiência, assertividade e produtividade na sua rotina! 

“O Jacto GB-18 foi planejado pensando sempre nas necessidades do produtor e do operador. Ele chama atenção por ser altamente moderno, tecnológico e possuir vários recursos. É um equipamento muito flexível, que pode ser usado em diversos cultivos, trazendo muito retorno ao investimento. Além disso, o conforto e a durabilidade também são destaques que fazem toda a diferença”, palavra de Caio Nishida sobre o Jacto-GB-18. 

Menino com taco de beisebol

Descrição gerada automaticamente com confiança baixa
Jacto GB-18 

  

E se você pensa em aumentar a produtividade, com mais tecnologia, precisão, conforto e sem contato das mãos com insumos, então visite já o nosso site para mais informações sobre este assunto, clique aqui!

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.