integração lavoura-pecuária-floresta

O que é um sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta?

O guia completo das melhores práticas de adubação

Entre as principais demandas mundiais e nacionais estão a produção de alimentos, de matérias-primas e a manutenção do meio ambiente. Poucos sistemas de produção são tão eficientes ao fornecer essa solução de forma tão completa quanto o de integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), que recupera o ecossistema ao mesmo passo em que torna as propriedades ainda mais produtivas.

Justamente por isso, é muito interessante conhecer mais sobre esse método de trabalho. Neste post, você verá no que consiste, quais são as vantagens e como aplicar esse sistema de integração. Acompanhe!

O que é um sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta?

O sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta é uma estratégia de produção que combina pecuária com lavouras e silvicultura, e que vem se expandindo cada vez mais no Brasil. A agrossilvicultura usa uma combinação de árvores e culturas para utilizar melhor a terra, e esse mesmo espaço ainda pode ser otimizado para a criação de animais.

Essa forma de integração busca aproveitar ao máximo o uso da terra, reduzindo os custos de produção e diversificando os resultados. Isso significa mais renda e níveis mais altos de emprego. Tudo isso pode ser feito sem deixar de ser ecologicamente correto — com baixa ou mesmo zero emissão de gases que causam o efeito estufa.

A Integração Lavoura-Pecuária-Floresta pode desempenhar um papel fundamental na promoção da sustentabilidade e segurança alimentar, diminuindo o impacto da expansão agrícola — principal causa do desmatamento — sobre a biodiversidade e conservação do solo. Essa também é uma abordagem inovadora para o desenvolvimento econômico, tanto para comunidades rurais quanto para as urbanas.

Por que usar um sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta?

À medida que a população global cresce, o mundo demanda mais alimentos, agroenergia e insumos provenientes do campo. Tudo isso tem um impacto significativo nos recursos básicos dos quais todos dependemos, como solo, água e muito mais. Sem acesso a esses elementos vitais, é difícil manter a estabilidade econômica e um planeta sustentável.

Há uma maneira de satisfazer às necessidades de produção a partir destas 3 áreas: cultivo de culturas, desenvolvimento de animais e conservação florestal. A integração permite o aumento da produção e a economia de recursos — como terra, mão de obra, irrigação, sementes e defensivos agrícolas — ao abraçar esses três aspectos. Tudo isso é feito sem prejudicar fungos e bactérias no solo, garantindo a qualidade ambiental necessária.

Essa integração envolve práticas sustentáveis de produção de grãos, fibras, carnes, leite e até mesmo fontes alternativas de energia, que são viabilizadas pela implementação de diferentes sistemas de produção em uma mesma área. Para que isso aconteça, o agricultor pode recorrer ao consórcio, ao plantio sequencial ou ao plantio rotativo.

Há, ainda, um equilíbrio no ILPF combinado com o Sistema de Plantio Direto (SPD), que é mais econômico e ecologicamente correto que outros métodos de recuperação. Em resumo, podemos dizer que o ILPF é bom para o produtor, bom para a sociedade e, principalmente, bom para o meio ambiente.

Quais são as vantagens desse sistema de integração?

Como você já deve ter percebido, esse sistema produtivo é bastante eficiente por várias razões. Confira, a seguir, as principais delas.

Promove a recuperação de pastagens degradadas

O uso de sistemas de integração Lavoura-Pecuária-Floresta ajuda a restaurar a qualidade física e química de uma pastagem degradada, bem como sua qualidade biológica. Além de recuperar a pastagem, esses sistemas fornecem palha — que pode ser utilizada para o manejo de nutrientes e como ração animal —, transformando aquelas pastagens que antes eram degradadas em um recurso valioso.

Agrega diferentes sistemas produtivos

A agricultura orgânica e integrada do ILPF beneficia as plantas, o solo e os animais. Por exemplo: a rotação de culturas com pastagens leva à melhoria do solo. Além disso, as leguminosas revigoram os níveis de nitrogênio no sistema com sua capacidade de fixar nitrogênio atmosférico do ar e armazená-lo nas raízes.

Assim, são conquistadas melhorias significativas na produção de:

Tudo isso ocorre dentro de uma única propriedade rural, que pode diversificar suas fontes de receita.

Diminui o uso de agroquímicos

A integração Lavoura-Pecuária-Floresta é uma estratégia útil, que pode reduzir a necessidade de agroquímicos em quantidades excessivas. Ela pode fazer isso quebrando os ciclos de pragas, doenças e ervas-daninhas que causam problemas na monocultura.

Como aderir ao sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta?

Os sistemas de integração Lavoura-Pecuária-Floresta precisam ser planejados cuidadosamente. Eles devem levar em conta fatores econômicos e aspectos ambientais. Além disso, antes de adotar o ILPF, é fundamental garantir que ele funcione na sua propriedade. Você precisará verificar os solos, as culturas e o clima apropriado, para garantir que tudo funcione corretamente.

Dentro do sistema ILPF, as espécies florestais são plantadas com um certo espaçamento entre as linhas, permitindo a integração de cultivos como soja, milho, feijão, sorgo e girassol. Logo na sequência, é consorciada uma cultura forrageira.

Uma vez que a colheita é feita, uma certa porcentagem do campo será deixada, assim, ela pode crescer de forma selvagem, nutritiva e servir como pastagem. Nesse espaço, serão mantidos o gado e/ou outros animais depois que a cultura dos grãos for realizada.

Com a floresta cultivada durante todo esse período e aguardando o estágio de corte da madeira, está criado o ecossistema ideal para introduzir a atividade pecuária de forma sustentável e totalmente produtiva. Ali, os animais terão sombra, nutrientes e, dependendo das instalações, água fresca.

Os resultados obtidos por meio da aplicação do ILPF indicam que essa é uma alternativa bastante viável economicamente, além de ser extremamente favorável para o equilíbrio ambiental e acabar beneficiando a sociedade de várias formas.

Com a diversidade de fontes de renda em uma mesma propriedade, o produtor ainda consegue diminuir os riscos inerentes à sua atividade. Mesmo com eventos climáticos incontroláveis e com a dinâmica de mercado, ele consegue amenizar eventuais perdas econômicas porque sua rentabilidade deixa de depender de uma única solução.

O investimento sustentável no meio rural tem gerado melhoria na renda e qualidade de vida, além de contribuir para a redução do desmatamento, da erosão do solo e da emissão de gases de efeito estufa que afetam o clima. O objetivo é criar um uso consciente da natureza, que proporcionará um mundo melhor para esta e as próximas gerações.

Se você gostou de saber mais sobre o sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta, que tal continuar aprendendo sobre o assunto? Descubra como ser sustentável no agronegócio!

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.