Os principais desafios em ser agricultor: um panorama sobre a evolução e o futuro da profissão

Os principais desafios em ser agricultor: um panorama sobre a evolução e o futuro da profissão

Quem é agricultor e empreendedor sabe que o setor impõe diversos desafios que, se não superados, podem levar à perda de competitividade no mercado. Apesar de ocupar uma posição privilegiada na participação econômica do país, a agricultura não poupa o empreendedor do campo, que necessita ter muita garra e inteligência estratégica para fazer sua lavoura produzir.

Pensando nisso, produzimos este artigo para desenhar de modo claro um cenário panorâmico de como anda a atividade agrícola no país e apresentar os principais desafios do agricultor brasileiro.

Esperamos promover a reflexão e a discussão sobre os rumos que precisamos tomar para um agronegócio mais sustentável.

Um panorama histórico da agricultura no Brasil

O surgimento da agricultura no país remonta ao início da colonização. A base da mão de obra escrava impulsionou a economia agrícola, tendo seu núcleo de desenvolvimento na região nordeste, por volta do século 16, com as extensões de terra conhecidas como Capitanias Hereditárias.

A monocultura era restrita à cana-de-açúcar, embora pudessem ser encontrados outros cultivos de menor expressividade. Já no século 18, iniciam-se as primeiras lavouras de café, que passa a ser o principal produto nacional já a partir do século 19.

A era da cafeicultura do Brasil rompe uma nova etapa na história da economia nacional, e geralmente é identificada com um dos principais motores de desenvolvimento do país.

Com a crise econômica no início do século 20, houve a necessidade de diversificar a atividade econômica no país, com intensificação do trabalho nas indústrias e a valorização de outros tipos de culturas.

Um cultivo que apresentou grande expressividade no cenário nacional e internacional foi a soja. Segundo dados da Embrapa, a safra 16/17, por exemplo, as lavouras de soja preencheram um total de 33,89 milhões de hectares, com uma produção que superou 113 milhões de toneladas. Hoje, o Brasil é o segundo maior produtor de soja do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

O desempenho da agricultura faz do setor um dos mais importantes para a economia brasileira. Segundo o IBGE, o agronegócio é o grande responsável em manter o PIB nacional em crescimento. O segmento teve um aumento de 13%, enquanto outras áreas, como o comércio e a construção civil, tiveram uma performance de insatisfatória a negativa (+1,8% e -5%, respectivamente).

Apesar desse cenário favorável, os agricultores brasileiros ainda enfrentam diversos obstáculos para o crescimento do negócio. Vejamos.

Quais são os principais desafios do agricultor dentro e fora do campo?

Podemos dividir os desafios do agronegócio brasileiro em seis eixos importantes.

Mão de obra

Encontrar capital humano qualificado no campo é um grande dilema do setor. Em primeiro lugar, existe o fenômeno social constante da migração da população rural para as grandes cidades, reduzindo drasticamente a quantidade de mão de obra disponível.

Em segundo lugar, temos a falta de formação técnica dos trabalhadores. Cada vez mais, o agronegócio adota novas ferramentas e máquinas agrícolas sofisticadas para o aumento da produtividade, mas o capital humano encontrado muitas vezes não está apto a operar essas tecnologias.

Competitividade

Quando falamos em competitividade, não nos referimos apenas à concorrência interna. Se o Brasil não continuar expandindo seus investimentos no setor, ele poderá ficar para trás no cenário internacional, ultrapassado por países que não têm tradição agrícola, mas que já despontam no comércio exterior, como a Malásia e a Indonésia com a borracha, e o Vietnã com a cultura cafeeira.

Terras agrícolas

É possível aumentar a produtividade sem aumentar a disponibilidade de terras agrícolas? Esse também é um dos grandes desafios do agricultor, uma vez que o tamanho das áreas de plantio tem crescido em escalas bem menores quando comparado ao aumento da produção e da demanda. Por exemplo, segundo a Embrapa, desde 1990, a extensão de terras plantadas com grãos cresceu 61%, mas a produção chega a ser 310% maior.

O principal responsável pela maior produtividade em uma área menor de terras é, sem dúvida, o avanço tecnológico e científico, com a adoção de novas práticas e ferramentas, como as disponibilizadas pela agricultura de precisão.

Logística

Aqui podem ser elencados como desafios os altos custos de transporte e as condições desfavoráveis das rodovias e dos portos brasileiros. Esse entrave no sistema de escoamento encarece os produtos, prejudicando as duas pontas do processo: o produtor e o consumidor final.

Clima

As condições climáticas constituem uma preocupação inerente à produção agrícola, e sempre será assim. Acontece que quando o clima da região prossegue dentro da normalidade, com os parâmetros de chuvas, umidade e temperatura dentro do esperado, os produtores conseguem conduzir sua produção com maior facilidade.

Porém, quando essas condições ficam alteradas, com longos períodos de seca ou temporadas de chuva, os produtores podem não conseguir se planejar adequadamente. Os danos podem ser muito graves, inclusive com a perda de toda produção.

Demanda

Um estudo conduzido pela FAO afirmou que se o ritmo do crescimento de consumo de alimentos continuar nessa velocidade atual, em 2050 precisaremos de 60% mais alimentos e 40% mais água. Sendo assim, o agronegócio precisa buscar sistemas mais inteligentes e eficientes para otimizar os meios de produção e garantir a demanda para as próximas gerações.

Os desafios não se restringem a esses aspectos destacados. Mas são suficientes para causar grande preocupação e prejuízos reais à agricultura brasileira. Felizmente, em todos os casos, a tecnologia pode ser uma grande aliada do produtor.

Como as tecnologias impactam e ainda impactarão o setor?

Embora precisemos produzir mais, dificilmente esse ganho virá com a ampliação das terras cultivadas. É preciso aumentar a eficiência produtiva. O que isso significa?

Por exemplo, um estudo realizada pela Agência FAPESP revelou que em lavouras de cana, a eficiência era de apenas 50%. Sendo assim, a área cultivada produzia apenas metade da sua capacidade. Em outras palavras, seriam necessárias duas lavouras do mesmo tamanho para gerar o que apenas uma poderia fazer caso estivesse em condições ideais. Como alcançar essa eficiência produtiva?

As diversas soluções tecnológicas aplicadas ao campo tendem a reduzir os custos de produção e superar os desafios que surgem na lavoura. Elas otimizam processos e reduzem as falhas nas diversas etapas da produção, como adubação, plantio, irrigação, pulverização, colheita etc. A esse conjunto de ferramentas damos o nome de agricultura de precisão, que tem impactado significativamente a agricultura em todo o mundo.

Entre as principais tecnologias, encontramos:

  • sensores: monitoram plantas, clima e solo para reunir informações importantes sobre a lavoura;
  • GPS em máquinas agrícolas: auxilia no mapeamento da plantação para localizar amostras de solo dentro do talhão, por exemplo, — recurso que permite gerar mapas de fertilidade;
  • mobilidade: monitoramento realizado por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, para acompanhar o trabalho das máquinas, acessar informações sobre a lavoura etc.

Esses são exemplos de tecnologias que têm um leque bem amplo de aplicações e munem o produtor de informações ricas para a tomada de decisão.

Quais conhecimentos o profissional da agricultura deverá ter para continuar na área?

Essas tecnologias demandam dos profissionais do campo novas competências e habilidades. Aliás, quando falamos em agricultura, as áreas de atuação e os conhecimentos necessários são bem amplos.

Além da agronomia, é importante estar atento a segmentos derivados, passando por áreas mais técnicas, como produção vegetal e aplicação de novas tecnologias, até aspectos mais gerenciais, como exportação, estatística e economia. Em virtude disso, o espectro de atuação do profissional continua se expandindo, principalmente por causa do avanço da tecnologia.

Estão surgindo novas profissões com o avanço da tecnologia? Quais?

As principais novidades estão pautadas na tecnologia. Assim, as profissões criadas dentro da atividade agrícola exigem conhecimentos avançados que permitem usar as novas ferramentas para agregar valor e otimizar o processo produtivo.

Um outro grande destaque é a biotecnologia, que consiste na manipulação dos genes para melhorar as características de determinados produtos.

Em seguida temos a crescente preocupação com a sustentabilidade na produção, em especial por causa dos períodos de estiagem, geração de resíduos e aplicação de insumos nas lavouras.

A evolução dos meios de produção agrícola é inevitável. Ao mesmo tempo, os desafios do agricultor também são crescentes. Cabe a ele identificar esses obstáculos e adotar as melhores práticas e tecnologias para superar os problemas e manter a competitividade do seu negócio.

Gostou das dicas? Então, siga as nossas redes sociais para continuar antenado com as novidades do setor! Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This