Acheter generique lexapro escitalopram des prix avantageux dans une pharmacie en ligne sans ordonnance Acheter celexa citalopram livraison gratuite d une pharmacie en ligne fiable Acheter Atarax (Hydroxyzine) de France M├ędicaments en ligne Acheter Cialis Professional 100 mg ED Pharmacy en ligne Acheter Cialis Super Active 20 mg en ligne

Descubra como é feito o transporte de grãos

O Brasil é conhecido internacionalmente como uma das nações que se destacam na produção agrícola. No entanto, toda essa produtividade não adiantaria se não houvesse uma logística robusta sólida por trás. É aí que entra o transporte de grãos, por exemplo.

O país produz diversos deles: trigo, soja, feijão, milho, café, arroz, entre outros. Neste post, falaremos dos detalhes sobre o transporte de grãos no Brasil e de outras questões relacionadas, como a legislação e os desafios do setor. Boa leitura!

Qual é a importância do transporte de grãos?

O Brasil é a maior referência mundial na produção de grãos. Em segundo lugar, vêm os Estados Unidos; em terceiro, a Argentina. A posição brasileira se explica pelo investimento na infraestrutura e na tecnologia no setor, o que aumenta a produtividade e a rentabilidade dos agricultores.

Naturalmente, por toda a robustez brasileira na produção de grãos, o transporte desses alimentos também se torna uma questão logística relevante. É preciso pensar no abastecimento — tanto do mercado interno como do externo.

Os grãos são uma importante fonte de alimento e de energia para toda a população mundial. Nesse sentido, uma boa logística de transporte será responsável por garantir que esses produtos cheguem aos mercados consumidores, aliando eficiência e segurança nos deslocamentos.

Inclusive, além das questões de repasse do produto, o setor de transporte dos grãos também turbina a economia brasileira — e gera empregos.

Qual é a regulamentação referente ao transporte de grãos?

Há uma legislação sólida para regulamentar o transporte de grãos no Brasil. As normas abordam, principalmente, o deslocamento rodoviário, já que esse ainda é o meio mais comum no país. As leis são:

  • a Lei nº 11.442/2007, também chamada de Lei do Transporte Rodoviário de Cargas, que determina o regulamento geral para o transporte rodoviário de cargas, incluindo os grãos;
  • a Portaria nº 326, regulamentada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Por meio dela, é possível conferir as normas para a identificação e para o rastreio dos grãos;
  • a Resolução nº 441/2013, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que determina as regulamentações técnicas para o transporte de grãos no meio rodoviário.

Os veículos que realizam o transporte devem estar com a documentação em dia, com os condutores tendo o Certificado de Segurança Veicular (CSV) e o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) em mãos. Outro detalhe é que o deslocamento só pode ser feito por veículos com as guardas laterais fechadas.

Como é feito o transporte de grãos?

O transporte de grãos não é feito apenas de um modo, mas de vários. A seguir, vamos conhecer os principais!

Transporte de grãos rodoviário

Esse meio de transporte ainda é o mais comum, já que é possível abastecer o mercado interno e levar os produtos até os portos para serem repassados para outros países.

Os resultados seriam ainda melhores se todas as rodovias brasileiras fossem adequadamente cuidadas, e se o investimento do governo fosse mais preciso. Além disso, os profissionais enfrentam riscos de roubos e, em alguns casos, conduzem caminhões em condições precárias no transporte.

Você já teve curiosidade em relação a como é feito o transporte de grãos de café, por exemplo? O deslocamento é realizado, principalmente, pelas rodovias.

Transporte de grãos ferroviário

O transporte ferroviário é aquele realizado por meio dos trens. Por isso, ele é o menos comum, mas ainda tem o seu espaço. Alguns grãos, como a soja e o milho, costumam ser deslocados dessa forma.

Uma das vantagens desse modal é a possibilidade de transportar um grande volume de carga de uma só vez, haja vista que é possível alocar mais grãos em um trem. Isso reduz os custos de transporte, embora o deslocamento seja lento.

Algumas das ferrovias utilizadas para isso no Brasil são a Norte-Sul, a Centro-Atlântica e a Ferrovia Tereza Cristina.

Transporte de grãos hidroviário

O transporte hidroviário é, basicamente, o deslocamento dos produtos por meio dos navios e barcos. Uma curiosidade é que a região Sul do país tem a melhor rede fluvial, então, esse trabalho é frequente por lá.

Além disso, a hidrovia do Rio Paraná é a principal rota de transporte de grãos no país, sendo muito utilizada para o deslocamento de soja e de milho. Esse modal é eficiente também para enviar produtos para fora do Brasil, mas pode ser limitado pelas condições climáticas — tempestades e mares agitados, por exemplo.

Transporte intermodal

Aqui, há a combinação de diferentes modelos de transporte. Um exemplo: um produtor pode despachar os grãos por um caminhão, que seguirá até um porto ou um terminal rodoviário.

Essa “mistura” reduz os custos logísticos, mas o planejamento deve ser cuidadoso desde o início. Outra vantagem é que o vendedor pode negociar com mais de um prestador de serviço, o que garante mais flexibilidade para buscar preços e prazos interessantes.

Quais são os principais desafios do transporte de grãos?

Embora seja um setor estabelecido no país, sempre há espaço para melhorias. Alguns dos desafios que os profissionais do segmento enfrentam são os seguintes:

  • condições climáticas — todas as condições extremas, como longos períodos sem chuva, calor intenso ou enchentes, afetam negativamente tanto a produção quanto o transporte de grãos;
  • infraestrutura de transporte — nem todos os produtores brasileiros têm o luxo de dirigir caminhões por vias em boas condições, por exemplo. Estradas precárias dificultam os deslocamentos;
  • problemas no armazenamento — quando não há um planejamento detalhado de estocagem, os produtores podem não ter onde armazenar todos os grãos, mesmo se a colheita for um sucesso. Os silos (ou “cilos”) são a estrutura responsável por acondicionar os grãos, então, também é essencial entender como é feito o transporte do grão até o silo, com o uso de esteiras transportadoras, por exemplo;
  • falta de um maquinário de qualidade — como os caminhões para transporte rodoviário;
  • oscilações na demanda — é uma boa ideia diversificar a carteira de clientes para não depender de um só. Caso ele tenha que cortar gastos ou comprar em outro lugar, o lucro do agricultor cairá significativamente;
  • desafios ambientais — como países que só aceitam comprar o produto se os vendedores mudarem todas as suas práticas e adotarem princípios sustentáveis. Contudo, isso nem sempre pode ser feito rapidamente.

Como melhorar a eficiência do transporte de grãos?

É imprescindível contar com bons parceiros para otimizar toda a sua logística rural, mas as melhorias já começam no planejamento inicial. Vamos entender como melhorar a eficiência abaixo!

Planejamento

O planejamento, desde a colheita, é fundamental para garantir um transporte mais tranquilo e eficiente. Depois, será preciso estabelecer rotas, equipamentos necessários e horários de trânsito.

Equipamentos adequados

Conte com equipamentos de qualidade para a colheita e para o transporte de grãos. Os caminhões devem ser equipados com carrocerias robustas e com sistemas de segurança para coibir furtos e roubos.

Melhoria na logística

O transporte deve ser feito de maneira ágil, sem excesso de paradas desnecessárias e atrasos. Isso não agrada aos clientes e faz com que o vendedor perca a oportunidade de fechar negócios. Uma boa ideia é capacitar motoristas cada vez melhores e recorrer ao investimento em um maquinário de qualidade.

Também considere o uso de mais de um modal de transporte, como no caso do transporte multimodal. O importante é comparar preços e prazos para tomar uma decisão embasada.

Implementação de tecnologias

Usar tecnologias no campo também é um meio de otimizar o transporte como um todo. Alguns exemplos são a utilização de drones e o rastreamento por satélite, que ajudam a monitorar o deslocamento das cargas e a identificar pontos de melhoria.

Adoção de práticas sustentáveis

A adoção de uma mentalidade mais sustentável, focada em determinadas iniciativas, como a redução do consumo de combustível, a utilização de fontes de energias alternativas e a minimização da emissão de poluentes, ajuda a reduzir os impactos ambientais. O mesmo vale para atrair clientes mais exigentes, como os governos de outros países.

Agora que você já sabe como é feito o transporte de grãos no Brasil, pode adotar essas dicas e melhorar a sua logística. Caso você ainda tenha interesse em explorar esse campo, é importante recorrer a tecnologias e a um maquinário de qualidade para otimizar os deslocamentos.

Aproveite a visita ao blog e saiba mais sobre os produtos Jacto, que contribuem para a maior produtividade no transporte de grãos!

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.