6 dicas para pequenos e médios produtores terem sucesso no campo!

6 dicas para pequenos e médios produtores terem sucesso no campo!

Historicamente, um dos setores da economia que tem maior relevância no Brasil é o agronegócio. Não é para menos: nosso país é abundante em recursos hídricos, tem um clima favorável à agricultura, com sol a maior parte do ano e grande extensão de terras, isso sem mencionarmos a nossa colonização de cunho extrativista.

E ainda hoje grande parte dos alimentos produzidos no Brasil, seja para consumo interno ou para exportação, é produzida por pequenos e médios produtores, que enfrentam todo tipo de desafios para tocarem seus negócios.

Existem, porém, estratégias que os pequenos produtores podem usar para aumentarem seu sucesso e fazerem seu negócio crescer exponencialmente. Se você quer saber que estratégias são essas e como aplicá-las nas suas terras, acompanhe-nos ao longo deste artigo!

A importância dos pequenos e médios produtores

Segundo levantamento do governo federal, em 2015 a agricultura familiar era responsável por cerca de 70% de todos os alimentos que chegavam à mesa dos brasileiros.

Esse dado por si só demonstra que, ao contrário do que propagandeia em grande parte da mídia, o agronegócio no Brasil ainda é composto majoritariamente por pequenos e médios produtores, que cultivam terras pequenas, muitas vezes em empreitadas familiares.

Apesar disso, grande parte dos financiamentos do governo são destinados aos grandes produtores, seja para modernização da lavoura ou para expansão das atividades como um todo.

Assim, é importante que o produtor de pequeno porte adote estratégias que potencializem seus ganhos, como investir em mercados de nicho (produtos para exportação ou orgânicos, por exemplo), nos quais é possível ter um maior lucro ofertando produtos de qualidade em vez de ter ganhos em quantidade.

Abaixo, entramos em mais detalhes em algumas dessas estratégias.

6 dicas para que pequenos e médios produtores tenham sucesso na produção

1. Saiba o que plantar e como comercializar

Não é raro que o pequeno produtor rural venha de uma tradição já estabelecida no campo, seja por fazer parte de uma família de agricultores ou por morar em uma região com forte tradição agrícola.

Dessa forma, geralmente esse produtor cultiva um produto já tradicional, com o qual está familiarizado e cujas necessidades já entende bem.

Entretanto, ao escolher o que plantar, é importante que você questione se esse cultivar é realmente o melhor para o seu negócio. Aspectos como as características do solo e do clima, a lucratividade do cultivo, o momento do plantio e a demanda do mercado devem ser levadas em consideração a todo momento, mesmo que isso signifique sair um pouco da tradição.

2. Analise o mercado interno e avalie as chances de exportação

Muitas vezes, a decisão mais óbvia para o pequeno produtor é vender seu produto internamente. Afinal, como vimos, 70% dos alimentos consumidos no Brasil vêm da agricultura familiar, o que é um indicativo de que esse mercado pode absorver facilmente sua produção.

Entretanto, destinar seus produtos (ou, pelo menos, parte deles) para o mercado externo pode ser extremamente benéfico. A agricultura brasileira goza de bastante prestígio lá fora, sobretudo nossa produção de frutas.

Tendo em mente que mercados como o europeu e o americano prezam muito pela qualidade e pela apresentação dos produtos, o pequeno produtor pode sair na frente em relação ao grande agronegócio, com itens cultivados com mais cuidado.

Ao investir no mercado exterior, o pequeno produtor ganha muito. Primeiramente, a cotação do dólar, alto em relação ao real, é benéfica para quem trabalha com exportação, garantindo lucros elevados e bom escoamento da produção.

Além disso, ao diversificar sua produção, vendendo dentro e fora do Brasil, você fica menos vulnerável a oscilações no mercado.

3. Melhore suas capacidades de gestão

Embora o conhecimento profundo dos aspectos técnicos do seu negócio seja imprescindível, é importante que você não caia na armadilha de não dar a devida atenção aos aspectos gerenciais do seu empreendimento.

Como o produtor não tem muita capacidade de influenciar o preço dos seus produtos, que geralmente são marcados a mercado, adotar medidas que reduzam os custos da operação é fundamental.

Essa redução de custos pode se dar, sobretudo, por meio da aplicação de tecnologias que aumentem a sua produtividade. Investir em sistemas de análise de dados também é capaz de causar uma diferença relevante nos seus lucros.

4. Invista em parcerias estratégicas

Se é verdade que nenhum homem é uma ilha, o mesmo se aplica às empresas. Procurar parcerias estratégicas traz benefícios importantes para alavancar seus lucros e sua presença no mercado.

Pequenos e médios produtores que se associam a cooperativas ganham força na negociação de preços melhores, tanto para a compra de materiais e insumos quanto para a venda da produção.

Um modelos de parceria que tem crescido muito nos últimos anos é o consórcio de máquinas agrícolas. No consórcio, um grupo de pessoas se reúnem para comprar máquinas a parcelas facilitadas. Como num consórcio automotivo, você paga as parcelas e, ao final do prazo estipulado, recebe uma carta de crédito a ser usada na compra do maquinário, podendo também ser sorteado com a carta durante esse prazo.

5. Não se esqueça do marketing agrícola

Mesmo estando longe dos grandes centros urbanos, o pequeno negócio pode estar muito próximo dos seus clientes por meio de uma estratégia de marketing bem pensada.

Uma das vantagens do pequeno e médio produtor é que, estando mais próximo do seu negócio, ele dispõe de mais meios para controlar a qualidade do seu produto, sobretudo se falamos de frutas e hortaliças.

Assim, a estratégia de marketing do pequeno negócio deve ser centrada no diferencial de qualidade, trazendo maior valor agregado ao seu produto. Estratégias como a venda de orgânicos, por exemplo, destacam seu negócio.

6. Aposte em tecnologia

Engana-se quem ainda pensa que o pequeno e médio produtor do campo está distante das tecnologias de ponta. Tecnologias de precisão, como o controle bico a bico da pulverização e o controle via GPS dos tratores, por exemplo, podem implicar economia de recursos, maior eficiência e menores perdas no campo.

A Jacto oferece inovação tecnológica para o produtor rural há 70 anos e está engajada em colocar tecnologias de ponta à disposição dos pequenos e médios produtores, seja com as melhores máquinas do mercado ou com soluções de software inovadoras.

Gostou das nossas dicas para pequenos e médios produtores? Agora é colocar a mão na massa e trabalhar duro para colher os frutos do seu sucesso.

Quer receber mais conteúdos como este e levar o seu negócio ao próximo patamar? Assine a nossa newsletter!

Powered by Rock Convert

Comments (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This