Agricultura sustentável: 12 tecnologias que você não pode ignorar

A agricultura 4.0, também chamada de agricultura digital, baseia-se na tecnologia de ponta, na automatização de processos e na análise de dados em larga escala na produção agrícola. Quando utilizadas em conjunto, essas técnicas contribuem para uma agricultura sustentável e cada vez mais produtiva.

São tecnologias que têm como objetivos principais: 

  • melhorar a produtividade agrícola e a eficiência na utilização de insumos;
  • reduzir custos;
  • aumentar a segurança dos trabalhadores;
  • diminuir os impactos ambientais causados pela atividade agrícola.

A agricultura 4.0 surge como uma importantíssima ferramenta, pois a aplicação de técnicas sustentáveis no campo deixou de ser uma “tendência revolucionária” e se tornou um imperativo e uma garantia do abastecimento da cadeia produtiva de alimentos para as próximas gerações.

Desde a aplicação de técnicas de melhoramento genético de sementes e a utilização de biotecnologia para a criação de cultivares mais produtivas e adaptadas ao meio, passando por intervenções pontuais na lavoura e melhorias de logísticas no transporte e na distribuição da produção, a agricultura digital tem o poder otimizar o uso de recursos naturais e aumentar a produtividade — ao mesmo tempo em que reduz ao máximo os impactos ao meio ambiente.

O novo mundo da agricultura sustentável

Confira abaixo 12 tecnologias de agricultura sustentável já disponíveis no mercado e que você não pode mais ignorar!

1. Conheça a agricultura de precisão

Todo gestor agrícola sabe que as características das áreas de plantio não são uniformes. Cada pedaço da fazenda necessita de quantidades e tipos de insumos diferentes. Entretanto, a solução de entender grandes áreas como homogêneas, utilizadas em larga escala pelos produtores, prevê a aplicação de quantidades de adubos, fertilizantes e insumos iguais em toda a propriedade, considerando uma média. O resultado? Discrepâncias e não uniformidade de produção.

É exatamente nesse ponto que entra a agricultura de precisão. Com a utilização de tecnologias de referenciamento e posicionamento dadas por sistemas de GPS avançados, é possível gerir o campo metro a metro.

Dessa maneira, aplica-se a quantidade de insumos, fertilizantes e defensivos exata para cada área, no momento mais adequado. A utilização da agricultura de precisão gera economia financeira, poupa o meio ambiente e aumenta consideravelmente a produtividade das áreas.

2. Prepare-se para a autonomia das máquinas agrícolas

O cenário futurístico no qual robôs fazem grande parte do trabalho braçal já chegou à produção agrícola. Protótipos de tratores, colheitadeiras e arados que podem ser comandados a distância já foram lançados no mercado.

Nessas máquinas, o operador é substituído por sistemas inteligentes, sensores, rádio, dados e GPS que respondem a comandos previamente configurados e são controlados por tablets e smartphones. A tecnologia está sendo considerada como uma evolução da agricultura de precisão.

3. Mapeie a sua colheita

O primeiro passo para utilizar a agricultura 4.0 a seu favor é verificar como andam as suas terras. Sabendo com precisão o quanto cada área está gerando, é possível investigar os motivos de baixa produtividade de determinado local, fazendo seu manejo pontual.

É exatamente essa informação que o mapeamento da colheita é capaz de fornecer. Por meio de colheitadeiras equipadas com GPS (que marca a posição da máquina) e com sensores (que medem a quantidade de grãos colhidos em cada posição), você saberá determinar exatamente a variabilidade espacial de produção dentro das suas propriedades.

4. Utilize indicadores de desempenho com base nas informações coletadas

A agricultura do futuro não visa somente ao aumento de produtividade sem limites. Para manter uma área produtiva ao longo do tempo, é necessário também aumentar a eficiência do uso da terra e dos recursos financeiros, além de diminuir o impacto ambiental ao máximo.

Como gerir todas essas variáveis, sabendo exatamente onde e de que forma intervir? A resposta está na análise de bons indicadores. Utilizando sistemas integrados e agricultura de precisão, dados serão gerados, permitindo manejar cada questão relacionada à produção da maneira mais eficiente e direta possível. Isso gera economia de tempo, mão de obra e de recursos naturais e financeiros.

5. Deixe que os sensores façam o seu trabalho

Sensores ópticos ligados a computadores com inteligência artificial e acesso à internet são capazes de trabalhar praticamente sozinhos, deixando você livre para lidar com outras questões da gestão agrícola.

Controle de irrigação e aplicação de insumos e nutrientes em períodos previamente configurados são apenas alguns exemplos do grande auxílio que o uso de sensores é capaz de proporcionar.

6. Acostume-se com drones sobrevoando a colheita

Os drones (veículos aéreos não tripulados) também são uma ferramenta incrível trazida com o desenvolvimento da agricultura de precisão. Eles podem ser coordenados a distância, seja por pessoas, seja por controladores automáticos previamente programados.

A grande versatilidade desse equipamento vale o investimento. Com o uso de drones sobrevoando as áreas da propriedade, é possível analisar a plantação, detectar pragas e falhas, demarcar áreas de plantio, acompanhar o desenvolvimento da safra, monitorar níveis de desmatamento, encontrar nascentes de água, achar focos de incêndio, entre muitas outras funções.

7. Não tenha medo do Big Data

O conceito de Big Data — que resumidamente significa o armazenamento, a organização e a análise de grandes volumes de dados — ainda é visto com desconfiança por muitos produtores agrícolas. Entretanto, saiba que a adoção do Big Data pode gerar benefícios reais para o seu negócio!

É humanamente impossível reunir e analisar dados de colheita e produção de maneira manual, relacionando-os a características geomorfológicas de solo e dados meteorológicos para traçar estratégias de manejo adequadas.

O Big Data faz tudo isso por você. Por meio dele, é possível antecipar a ocorrência de doenças e pragas — levando em conta os níveis de umidade do ar, a presença do patógeno e a temperatura em determinados intervalos de tempo —, simular a probabilidade da praga infestar a plantação e determinar o volume de defensivo adequado a ser aplicado. Incrível, não é?

Com o Big Data, também é possível gerir adequadamente os recursos hídricos. Dependendo da textura do solo, determinadas áreas conseguem armazenar mais água do que outras, necessitando de menos irrigação.

Economizar água e insumos: bom para você, excelente para o meio ambiente. É a agricultura sustentável chegando para ficar, beneficiando o planeta e os produtores!

8. Faça parcerias adotando o sistema Integração Lavoura-Pecuária (ILP)

As Tecnologias para Manejo Sustentável da Integração Lavoura-Pecuária apresentam excelentes resultados, especialmente para o aproveitamento do espaço disponível sem a necessidade de buscar novas áreas que poderiam ser desmatadas.

Esse sistema consiste na adoção de atividades agrícolas e pecuárias de forma integrada na mesma área em um modelo de rotação ou sucessão. O resultado é um menor impacto sobre os recursos naturais e a redução de processos de degradação.

O ILP visa diversificar a produção para otimizar o uso de recursos ao mesmo tempo em que gera renda para o produtor. Assim, para quem já é pecuarista, é possível entrar no agronegócio com uma escala maior de produção, com as áreas de pastagens já disponíveis. Arrendando o terreno, é possível abrir as portas para parcerias com outros produtores rurais.

As tecnologias de ILP oferecem principalmente os seguintes benefícios para a lavoura:

  • economia na recuperação ou renovação de pastagens;
  • provimento de adubos residuais que serão aplicados para as culturas de grão, como soja e milho, e aproveitados por culturas forrageiras;
  • produção de forragem em épocas críticas;
  • melhoramento de atributos físicos, biológicos e químicos do solo por meio das pastagens de braquiárias;
  • diminuição de plantas daninhas na área no longo prazo;
  • redução da necessidade de aplicação de herbicidas para o controle de invasoras.

9. Implemente um software de gestão para gerenciar as atividades do negócio

A qualidade e a eficiência das operações que acontecem dentro da lavoura são resultados das decisões estratégicas tomadas pela gestão. Sem dúvidas, são muitas as informações e os registros que devem ser considerados para tocar um negócio.

Por isso, existem diversos softwares e aplicativos que auxiliam o produtor a organizar suas atividades. Ao usar um sistema de gestão agrícola, o proprietário insere todos os dados da sua produção e o software o notifica sobre as diversas etapas da produção. Assim, o agricultor não perde o momento certo de aplicar defensivos na lavoura, irrigar ou plantar.

Essa tecnologia vai além da gestão feita por meio de planilhas e papéis. O sistema realiza cálculos automáticos, emite relatórios e tudo pode ser armazenado e acessado pelo computador, via smartphone ou tablet.

Isso permite que o produtor tenha, na palma da mão, o pleno controle dos insumos da sua propriedade, além dos demais ativos. O que isso tem a ver com sustentabilidade na agricultura? Um software de gestão agrícola representa:

  • menores custos na produção;
  • mais segurança financeira;
  • mais qualidade da produção;
  • mais produtividade em todos os aspectos do negócio.

10. Conecte-se à Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas é, na verdade, um conceito que engloba diversas outras tecnologias e dispositivos: inteligência artificial, internet 4G, wireless, GPS etc. Dentro do cenário agrícola, isso inclui drones, sensores, tratores, automotrizes, entre outros. A ideia da IoT é que todos esses dispositivos estejam conectados entre si, trocando informações.

Com todos os softwares e dispositivos conectados à internet, essas “coisas” podem gerar um volume inimaginável de dados em tempo real, construindo informações importantes para a tomada de decisões — isso inclui o registro sobre o solo, a lavoura, as máquinas, o clima e as plantas.

Pense, por exemplo, em sensores de temperatura e umidade que possam acionar irrigadores automaticamente conforme a necessidade da lavoura. Essa é uma das aplicações mais básicas!

11. Revolucione a sua produção com os transgênicos

A transgenia é um tipo de melhoramento genético que altera parte dos DN das plantas por meio da inserção de novos genes de outras plantas ou de espécies diferentes. O objetivo é adicionar às cultivares novas características em termos de sabor, resistência a pragas, a condições adversas ou qualquer outro atributo desejável.

Esse sucesso, fruto da biotecnologia, é bastante percebido pela potência da soja no Brasil e sua posição na agricultura mundial. Cerca de 96,5% da área plantada com soja aqui no país é transgênica. Esse produto geneticamente aprimorado:

  • reduz o uso de defensivo agrícolas;
  • reduz o impacto ambiental;
  • protege a saúde de agricultores que precisam lidar menos com defensivos;
  • reduz perdas na lavoura e aumenta a produtividade.

12. Não inicie as operações sem antes realizar a análise química do solo

O monitoramento das condições de fertilidade da área cultivada é a maneira mais precisa de avaliar os níveis de nutrientes do solo. A análise química do solo com o acompanhamento das recomendações de um engenheiro agrônomo dará um norte ao produtor sobre a quantidade e a natureza dos adubos e corretivos que deverão ser aplicados para melhorar a qualidade do solo.

Vale ressaltar que esse balanceamento nutricional é indispensável para alcançar altos níveis de produtividade da lavoura, visto que o desenvolvimento saudável das plantas depende em grande parte do estoque de nutrientes presente no solo.

Para isso, as amostras do solo são coletadas e transportadas até o laboratório que, depois de, pelo menos, uma semana, terá os resultados.

A amostragem georreferenciada de solo, que une a análise química e a localização via GPS, é uma das estratégias da agricultura de precisão que permite a construção de mapas de fertilidade do talhão, garantindo que as operações de adubação sejam ainda mais específicas e sustentáveis.

O ingresso na era da Agricultura 4.0 para um agronegócio mais sustentável

Para adotar essas tecnologias que contribuem para uma agricultura sustentável, o caminho não é nada complexo. No entanto, é necessário realizar o devido planejamento para que os investimentos sejam bem direcionados.

Sendo assim:

  • invista em máquinas modernas, com atributos que permitam adotar estratégias da agricultura de precisão — muitas delas já abarcam soluções como sensores, GPS, computadores de bordo, entre outros;
  • capacite seus funcionários para as tecnologias mais avançadas, pois não adianta ter as ferramentas e não contar com profissionais que saibam operar essas novas tecnologias para extrair delas o máximo da eficiência produtiva;
  • respeite as normas ambientais para garantir que os procedimentos adotados serão no sentido preservar os recursos naturais;
  • aprofunde seus conhecimentos de gestão para aproveitar os dados favoravelmente.

É fundamental que o gestor e produtor rural sempre acompanhe as tendências do setor para garantir que sejam adotadas as melhores práticas e ferramentas dentro de sua realidade e das necessidades da sua lavoura. Esse é o rumo certo para uma agricultura sustentável e mais produtiva.

Agora que você já está por dentro das tecnologias de agricultura sustentável, que tal entender mais sobre as vantagens da agricultura digital? Leia agora nosso post sobre a agricultura digital e entenda o que é, as vantagens e como fazer!

Powered by Rock Convert

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

3 Comentários

    1. Luan, continue nos acompanhando. Teremos muitos conteúdos relevantes para a agricultura.

  1. Avatar

    As inovações tecnológicas em benefício do uso racional da terra e dos insumos, sem desperdício de tempo e dinheiro, o resultado é maior produtividade, assim a certeza que o desenvolvimento é sustável, é clara, com o meio ambiente sadio, asseguramos o lar das futuras gerações. É o cumprimento do nosso dever de casa.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.