Como calcular perda na colheita? Aprenda como fazer esse cálculo!
como calcular perda na colheita

Aprenda como calcular perda na colheita de milho

Perdas de produção na lavoura de milho invariavelmente acontecem em pequenas e grandes propriedades. Dessa forma, é essencial saber como calcular a perda na colheita, em especial quando esses resultados não são claramente conhecidos.

Considere que, mesmo com tudo aparentemente sendo conduzido da melhor maneira, cerca de 5% a 10% da produção, ou mais, são perdidos. É preciso, portanto, conhecer as principais causas e dimensioná-las com o objetivo de fazer o seu controle.

Continue a leitura e aprenda como realizar o cálculo das perdas na colheita do milho.

4 causas das perdas na colheita

Antes de aprender a calcular as perdas, é importante conhecer onde elas se originam. Desse modo, considere os seguintes tipos de perdas na colheita do milho:

  • perdas em pré-colheita: observadas no campo, antes das operações de colheita, como o quebramento de colmos;
  • perdas na plataforma da colhedora: resultam de características da cultivar utilizada ou da regulagem da colhedora;
  • perdas por grãos soltos: resultam da regulagem da colhedora;
  • perdas por grãos nos sabugos: resultam da regulagem da colhedora.

Conheça, a seguir, as principais causas de perdas na colheita de milho!

1. Maquinário desregulado

Uma lavoura tecnicamente bem mecanizada é capaz de aumentar a sua produtividade de modo significativo. Para isso, no entanto, é necessário que o maquinário utilizado esteja devidamente regulado para as respectivas operações, ou a vantagem da mecanização pode ser perdida.

Nas operações de colheita de milho podem ser utilizadas colhedoras automotrizes ou colhedoras acopladas. Para ambas, porém, alguns cuidados devem ser observados para garantir que não sejam responsáveis por perdas na produção. Os principais são:

  • manutenção da velocidade operacional adequada à produção;
  • regulagem do cilindro debulhador;
  • condições do rolo espigador, peneiras e ventilador;
  • capacitação do operador.

2. Condições climáticas adversas

A cultura do milho tem as seguintes fases durante o ciclo de vida da planta:

  • germinação/emergência;
  • desenvolvimento vegetativo;
  • pendoamento;
  • florescimento e polinização;
  • enchimento e endurecimento dos grãos.

Por sua vez, as condições climáticas presentes ao longo de todo esse ciclo podem ser responsáveis por perdas que se manifestarão na colheita. Entre os fatores climáticos que mais afetam o bom desempenho da lavoura de milho estão a umidade e a temperatura.

Nesse sentido, cada fase tem a sua necessidade específica desses componentes climáticos. Desse modo, temperaturas altas ou baixas, assim como umidade excessiva ou falta de água em cada período poderão levar a consequências graves na colheita.

3. Ocorrência de pragas e doenças

Alguns insetos e, sobretudo, fungos causadores de doenças podem atacar o milho ainda no campo, imediatamente antes da colheita. Assim, são responsáveis por perdas observadas, além daquelas provocadas no armazenamento posteriormente.

As principais doenças que ocorrem nesse período e reduzem o rendimento da colheita são as chamadas podridões da espiga (branca, rosada e vermelha), além da podridão de Penicillium. Essa última, por sua vez, também provoca perdas nos grãos armazenados.

Entre os principais insetos que trazem danos significativos na colheita estão as chamadas pragas de final de ciclo. Destacam-se os gorgulhos do milho, pequenos besouros que perfuram o grão e colocam os seus ovos ainda na espiga.

4. Ausência de planejamento para a colheita

A colheita adequada tem início bem antes da entrada da colhedora no campo. A fase de planejamento é essencial para que o número de máquinas, a data de início, entre outros fatores, sejam devidamente executados.

Nesse sentido, as perdas em razão da colheita tardia podem ser significativas, uma vez que viabilizam a maior incidência de doenças e pragas, por exemplo. Por sua vez, quando não se planeja corretamente, pode-se falhar no dimensionamento do número de máquinas operando.

De todo modo, ao estender o tempo de colheita ampliam-se as perdas físicas e financeiras. Por essa razão, um adequado planejamento é essencial para alcançar a produtividade esperada.

Passo a passo para o cálculo das perdas

A principal causa de perda na colheita do milho pode estar na regulagem do maquinário. Desse modo, é importante verificar quanto de perda está ocorrendo durante o trabalho da colhedora.

Esse cálculo requer alguns preparos, mas é fácil de ser realizado. Para isso, você pode contar com o passo a passo mostrado a seguir.

1. Monte o gabarito para demarcação dos grãos

A avaliação das perdas durante a colheita do milho se baseia na coleta dos grãos perdidos no solo. Para esse fim, um gabarito na forma de moldura deverá ser elaborado para delimitar a área amostrada.

Assim, você pode utilizar madeira ou um arame firme. A moldura deverá ter a largura da colhedora e uma altura prática, que pode ser de 0,5 m (meio metro).

Nesse caso, se a sua colhedora tiver uma largura de 4,0 m, por exemplo, a área do gabarito será de 2,0 m2 (0,5 m × 4,0 m).

2. Utilize o gabarito no campo de colheita

Na faixa de passagem da colhedora, estenda o gabarito de modo a delimitar no terreno a área de 2,0 m2. Em seguida, colete todos os grãos encontrados dentro dessa área delimitada e coloque-os em um recipiente. Essa será a sua primeira amostra.

3. Calcule a quantidade de grãos coletada

Leve os grãos até uma balança e pese o conteúdo do recipiente. Anote o peso dessa primeira amostra (por exemplo, 13 g).

4. Complete três amostras

Repita por mais duas vezes os passos 2 e 3 anteriores, mas em locais diferentes entre aqueles onde a colhedora operou. Anote esses dois outros resultados (por exemplo, 11 g e 12 g).

5. Calcule a média das amostras

Some os pesos obtidos nas três amostras coletadas e divida o resultado por 3. Com isso, você tem um valor médio de perda por área de 2,0 m2.

Seguindo os exemplos anteriores: 13 + 11 + 12 = 36. Do mesmo modo: 36 ÷ 3 = 12 g, que é a média obtida.

6. Calcule as perdas reais

O cálculo final das perdas com a colheita é uma regra de três simples. Assim, em uma área de 2,0 m2 são perdidas 12 g de grãos. Quanto será perdido em um hectare (10 mil m2)?

2,0 m2 ———- 12 g

10.000 m2 —- X

X = 12 × 10.000 ÷ 2,0 = 60.000 g = 60 kg

Dessa forma, a perda estimada para essa colheita foi de 60 kg / ha (60 quilos por hectare). Perdas de até 90,0 kg (uma saca e meia) são considerados aceitáveis para um hectare.

Assim, sabendo como calcular a perda na colheita do milho, você pode confirmar se o maquinário está bem regulado ou se as suas perdas estão acima do comumente aceitável. Nesse caso, é importante providenciar a regulagem imediata dos equipamentos para alcançar mais economia da lavoura.

Gostou do artigo? Continue conosco em nossas redes sociais: estamos no Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter e YouTube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This