Tanque do pulverizador: 7 cuidados que você não pode ignorar

Tanque do pulverizador: 7 cuidados que você não pode ignorar

Assim como qualquer equipamento agrícola, o pulverizador demanda cuidados especiais e uma boa manutenção preventiva. Afinal, quem negligencia essas responsabilidades não só reduz a eficiência da aplicação de defensivos como coloca em risco os operadores da máquina.

Saiba desde já: vazamentos, desgastes e regulagens incorretas no tanque do pulverizador podem gerar desperdício de defensivos, aumentando os custos da operação, além de contaminar o operador e o meio ambiente. Melhor não correr esse risco, certo?

Pensando nisso, resolvemos trazer para o post de hoje 7 dos principais cuidados que você deve ter com o tanque do pulverizador, medidas essenciais para garantir a segurança da equipe, a vida útil do equipamento e sua eficácia na lavoura. Acompanhe os próximos tópicos para descobrir o que fazer!

1. Providencie uma manutenção preventiva antes do início do ano agrícola

É fato: todo equipamento agrícola deve ser regularmente inspecionado. No caso específico do pulverizador, o melhor momento para realizar essa checagem é logo antes do início do ano agrícola. Como provavelmente o equipamento passou um período parado, é essencial verificar, fazendo os devidos ajustes e trocas de componentes desgastados.

Normalmente, o manual do equipamento detalha o que precisa ser observado durante essa manutenção preventiva, que costuma ser bem rápida. Envolve basicamente verificações de rotina, testes do manômetro e do comando de pulverização, além da checagem das proteções das partes móveis.

Faz parte da gestão agrícola agendar as manutenções preventivas de todos os equipamentos e assegurar que elas sejam realizadas regularmente. Sem os devidos cuidados, o maquinário pode falhar no meio da operação, além de apresentar riscos para a segurança da equipe e comprometer atividades que precisam ser realizadas naquele momento, não podendo esperar conserto ou reposição.

2. Nunca remova as proteções de segurança do equipamento

Esse é um cuidado muito simples, mas que pode causar prejuízos imensos quando descumprido. Lembrando: o tanque pulverizador vem de fábrica com diversas proteções de segurança, algumas voltadas para quem vai trabalhar com a máquina e outras para a proteção do próprio equipamento — como as capas de proteção do eixo cardan. Em hipótese alguma essas proteções de segurança devem ser removidas.

Você tem uma (falsa) sensação de que poderia haver algum ganho de performance sem esses componentes? Nada disso! Remover as proteções não é uma opção. Afinal de contas, esses resguardos são colocados de forma extremamente criteriosa, seguindo normas de segurança fundamentais.

Um outro erro similar é a tentativa de reparar manualmente as proteções de segurança do tanque do pulverizador. Se você eventualmente identificar algum dano ou desgaste nessas proteções, o ideal é entrar em contato com o fornecedor do equipamento para descobrir como conseguir peças de reposição originais.

3. Faça a regulagem correta da máquina

São diversas as regulagens que precisam ser realizadas para permitir o bom funcionamento do tanque pulverizador. Nesse sentido, uma boa prática é, sempre que o equipamento for colocado em uso, aproveitar para verificar todas essas regulagens e fazer os ajustes demandados pelo tipo de aplicação a ser realizada.

A calibragem do equipamento pode ser feita pelo próprio agricultor. É isso mesmo: na maior parte das vezes, não é preciso procurar por um especialista para dar conta desse tipo de rotina simples — salvo exceções.

Para explicar como exatamente fazer essa regulagem, existe um capítulo específico no manual do produto, com todas as instruções relevantes da operação. Leia com atenção, lembrando que uma calibragem errada pode comprometer a eficácia do defensivo, que não controlará corretamente pragas e doenças, reduzindo a produtividade da cultura.

4. Realize limpezas regulares do tanque do pulverizador

A limpeza é a manutenção mais frequente que precisa ser feita no tanque do pulverizador. Aqui, a regra é jamais deixar resto de calda armazenada no tanque, a não ser que o equipamento volte a ser utilizado em pouco tempo para a aplicação dos mesmos defensivos. Se a limpeza não é feita, o tanque pode ser danificado pela corrosão e os bicos podem ser obstruídos, prejudicando aplicações posteriores.

E o melhor é que não é nada difícil manter a limpeza do tanque pulverizador em dia! Ela pode ser realizada com diversos produtos especializados disponíveis no mercado — os chamados limpa tanque. Esse é um cuidado muito básico, mas decisivo para a vida útil do tanque e sua eficácia no campo.

5. Siga o receituário agronômico na hora de misturar defensivos

É possível misturar diferentes defensivos no tanque do pulverizador para a aplicação simultânea de todos eles, otimizando assim o potencial do equipamento. Mas atenção: o preparo da calda deve ser feito adequadamente, seguindo o receituário agronômico para não correr o risco de misturar produtos que causem reações capazes de reduzir seus efeitos ou mudar sua consistência.

Para você ter uma ideia, determinadas misturas podem, por exemplo, alterar as propriedades dos produtos, deixando-os mais espessos. Com isso, os filtros do pulverizador são obstruídos, travando a aplicação dos defensivos.

Além disso, vale a pena destacar também que é preciso agitar bem os defensivos no tanque, mesmo que não haja nenhuma mistura. Uma agitação ineficiente pode causar baixa homogeneização da calda de pulverização, resultando em subdosagem ou superdosagem do defensivo, o que interfere diretamente em sua eficácia ou causa danos à cultura.

6. Procure por vazamentos sempre que usar o equipamento

Um dos problemas mais comuns que podem acontecer com um tanque de pulverizador são os vazamentos. Por mais que eles normalmente sejam percebidos na manutenção preventiva no início do ano agrícola, pode acontecer de, durante o uso de algum objeto ou se feito algum ajuste errado, surgir um novo vazamento.

A dica nesse caso é sempre verificar se existem sinais de vazamentos antes de cada utilização do pulverizador. É preciso procurar especialmente por vazamentos nas mangueiras e conexões do circuito de pulverização, além da bomba e do mexedor mecânico.

7. Acompanhe o desgaste nos bicos de pulverização

A qualidade dos bicos de pulverização é decisiva para uma aplicação eficiente e segura de defensivos agrícolas. E é natural que, pelo próprio uso, essas peças sofram algum tipo de desgaste ao longo do tempo. Por isso, é necessário acompanhar se os bicos de pulverização ainda estão em condições de uso, realizando trocas sempre que necessário.

O que você tem que entender o quanto antes é que não é vantagem alguma tentar operar a máquina com um bico já comprometido, pois os prejuízos pelo desperdício de produto serão imensos. Sem contar que a aplicação irregular pode falhar em proteger a lavoura ou, em alguns casos, até danificar as culturas.

E então, gostou de conhecer esses 7 cuidados essenciais para manter o tanque do pulverizador em dia? Aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de mais novidades sobre agricultura e gestão agronômica!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This