Lubrificação de máquinas agrícolas: saiba qual é a frequência ideal!
lubrificação de máquinas agrícolas

Lubrificação de máquinas agrícolas: qual é a frequência ideal?

A lubrificação de máquinas agrícolas tem como principal objetivo reduzir o atrito no contato entre as peças móveis, minimizando o desgaste e a geração de calor que poderiam trazer danos irreversíveis ao equipamento. Além disso, essa é uma ação fundamental para elevar a vida útil do seu maquinário.

Quando se fala nessa etapa da manutenção, muitos têm dúvidas sobre a frequência em que deve ser praticada. Alguns produtores apenas lubrificam suas máquinas quando começam a perceber alguns efeitos do ressecamento, como ruídos e travamentos. No entanto, se a aplicação de óleos e graxas for feita na hora certa, esses e outros problemas mais graves serão evitados.

Por isso, preparamos este artigo para mostrar não só os danos que podem ser causados pela falta de lubrificação, como também a periodicidade ideal para a realização desse trabalho. Acompanhe!

Existe uma frequência ideal para lubrificação de máquinas agrícolas?

Sim, existe uma frequência ideal, que pode variar conforme a necessidade de cada componente da máquina. Para isso, é indispensável consultar o manual de instruções do equipamento para verificar tanto a periodicidade indicada quanto os tipos de lubrificantes que devem ser aplicados.

Isso ocorre porque as peças da máquina trabalham em condições diferenciadas, e os óleos aplicados também atuam de diversos modos. Por exemplo, ao passo que o óleo do motor age para manter o resfriamento do sistema, óleos em engrenagens são usados para reduzir o atrito.

Por isso, a criação de um plano de lubrificação de máquinas agrícolas é fundamental para garantir que a manutenção será feita adequadamente, conforme veremos mais à frente.

Quais são os impactos da má lubrificação para o maquinário?

A falta de lubrificação nas máquinas pode trazer sérios danos. Entenda alguns desses impactos.

Desgaste de peças acima do normal

O desgaste dos componentes da máquina é um processo natural ao longo do tempo. No entanto, um dos objetivos da lubrificação é retardar esse problema. A corrosão está diretamente ligada ao atrito que as peças sofrem ao se movimentarem e entrarem em contato umas com as outras. Há também a ação de substâncias abrasivas e do calor gerado.

Aumento de custos operacionais

Uma vez que os equipamentos duram menos tempo e que existe mais necessidade de manutenções corretivas, os custos operacionais serão maiores. Afinal, as máquinas agrícolas estão presentes em todas as etapas do processo produtivo, desde a adubação até a aplicação de defensivos agrícolas. Ter problemas constantes ao longo dessas operações traz um impacto significativo no valor final repassado ao consumidor.

Indisponibilidades e atrasos

As máquinas que apresentam defeitos e estão paradas para reparos não estarão disponíveis para as operações do campo. Com isso, serão menos horas trabalhadas, o que pode atrasar o trabalho e a conclusão dos processos. Isso afeta diretamente a produção e a produtividade da sua lavoura, como veremos a seguir.

Como isso pode afetar a produção e a produtividade?

A falta de lubrificação em máquinas agrícolas reduz o desempenho dos equipamentos e impede que ele alcance o máximo da sua eficiência. Poderão ocorrer não somente atrasos na safra, mas também falhas na produção.

Além disso, componentes com um grau de atrito maior precisam de mais energia para se movimentar, gastando ainda mais energia. Dessa forma, o consumo de combustível será ainda maior, reduzindo o índice de produtividade.

Como realizar o uso correto de lubrificantes nas máquinas agrícolas?

Defina a frequência

A frequência deve ser verificada no manual do fabricante. Normalmente, essa manutenção preventiva pode ser feita em base:

  • semanal, ou a cada 50 horas trabalhadas;
  • mensal, ou a cada 250 horas trabalhadas;
  • semestral, ou a cada 500 horas trabalhadas;
  • anual, ou a cada 1.000 horas trabalhadas.

Na manutenção corretiva, a intervenção é feita assim que um problema é identificado, necessitando de uma ação rápida para que a máquina esteja prontamente disponível. Por exemplo, a máquina pode ter sofrido danos no sistema de lubrificação, como mangueiras hidráulicas, vazamentos etc. Além disso, ao monitorar as condições físicas/químicas dos lubrificantes, é possível detectar também a necessidade da troca.

Verifique o tipo de lubrificante a ser usado

Existem diversos tipos de lubrificantes disponíveis no mercado, e sua escolha deve ser feita com base na função deles. Geralmente, essa recomendação vem detalhada no manual da máquina. Esses produtos apresentam propriedades distintas que vão se aplicar em diferentes situações. As principais propriedades são:

  • cor;
  • estabilidade de oxidação;
  • índice de viscosidade.

Essa última é a propriedade mais importante, pois determina a resistência que um óleo tem ao escorrimento. Quanto menos resistente, mais o óleo se espalha, se movimenta e escorre. As condições que vão determinar o índice de viscosidade desejado normalmente são as seguintes:

  • normas industriais;
  • tipo de atrito (rolagem ou deslizamento);
  • velocidade de trabalho;
  • condição de carga/pressão/ambiente.

Estabeleça um plano de lubrificação

O plano de lubrificação leva em conta todos os itens analisados anteriormente, como periodicidade e tipo de óleo. Confira outros pontos essenciais desse planejamento.

Levantamento do maquinário

O primeiro passo é listar todas os equipamentos, incluindo tratores e implementos agrícolas, que deverão ser lubrificados. Isso vai garantir que nenhum deles fique de fora da rotina de lubrificação.

Identificação dos pontos de lubrificação

Cada máquina tem pontos de lubrificação específicos, como mancais, motor, correntes, engrenagens e bombas. Lembre-se de que, além de reduzir o atrito, os óleos também têm a função de limpar os componentes.

Definição de rotas de lubrificação

As rotas de lubrificação são a ordem que a aplicação dos óleos deve seguir. Isso deve ser feito com base no layout da máquina, na frequência de manutenção, na disponibilidade etc. Dessa forma, no momento da manutenção, o operador não terá que perder tempo estudando um passo a passo para lubrificar a máquina e seus componentes.

Gerenciamento de estoques

A frequência de lubrificação e o tipos de óleos vão determinar a quantidade de produtos que ficarão disponíveis no estoque. Isso deve ser feito de uma forma que não haja excessos ou falta de lubrificantes, uma vez que isso poderia causar atrasos e outros problemas mais sérios nas máquinas.

A lubrificação de máquinas agrícolas é um aspecto da manutenção que não pode ser negligenciado. A falta dela pode resultar em problemas financeiros e prejuízos à produtividade da sua lavoura. Por isso, mantenha um planejamento adequado e use produtos de qualidade para garantir que seus equipamentos tenham o melhor desempenho e a maior durabilidade possíveis.

Gostou das dicas? Então, assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos diretamente na sua caixa de entrada!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This