regiões montanhosas

Regiões montanhosas: qual a relevância na escolha de máquinas agrícolas para o cultivo do café?

40% da produção cafeeira no Brasil ocorre em regiões montanhosas. Essa característica representa um grande desafio à mecanização das operações nas lavouras, exigindo do agricultor maior cuidado na aquisição de máquinas e a adoção de técnicas adequadas.

Por isso, neste post, vamos falar sobre como ocorre o cultivo do café nessas áreas, como o produtor pode escolher um trator ideal e que características precisam estar presentes nas colhedoras de café. Confira!

Cultivo de café em regiões montanhosas

O cultivo de café em regiões montanhosas impõe alguns desafios aos produtores. Em primeiro lugar, o trajeto até chegar à lavoura não é fácil. Lavradores precisam enfrentar ladeiras, estradas apertadas e desniveladas. É necessário também muita força e equilíbrio para vencer os obstáculos.

Além disso, o relevo normalmente não permite o uso de tratores e outros veículos de tração, elevando os custos com mão de obra, que já é escassa. Esses trabalhadores precisam ser muito habilidosos e experientes, além de usar técnicas adequadas para evitar o desperdício. Por exemplo, é necessário cobrir o chão ao máximo para impedir que o grão se perca no terreno íngreme.

Apesar dessas dificuldades, o café produzido na montanha fornece um grau de qualidade superior. Uma das razões são os fatores do clima e do solo — os solos apresentam boa fertilidade em especial devido à distribuição adequada das chuvas.

As características adversas não têm sido um impedimento para o uso de máquinas nas lavouras de café nas montanhas. Para isso, é necessário planejar a aquisição para garantir que o maquinário vai atender as necessidades do cafezal. Vamos ver como essa escolha pode ser feita.

Passos para a escolha do maquinário ideal

O investimento em máquinas agrícolas é um empreendimento de grande porte. Mas é um passo necessário caso o agricultor deseje aumentar a produtividade da sua lavoura. Por isso, é fundamental fazer um bom planejamento, em especial se o café está plantado em regiões montanhosas. Considere os seguintes pontos importantes.

Avalie as características da sua lavoura

Ao analisar sua lavoura, existem algumas características fundamentais para viabilizar a passada da máquina entre as linhas. São eles:

  • dimensões das plantas: a altura dos arbustos deve estar entre 1,20 m e 4,20 m, e o diâmetro fica por volta dos 2,20 m. São dimensões ideais para o trabalho da maioria das colhedoras de café;
  • espaçamento no plantio: para que o trator consiga passar, é fundamental dispor de pelo menos 2,80 m entre linhas. Entre plantas, os pés de café precisam ter de 0,77 m a 1 m de distância entre si, possibilitando a maior taxa de recolhimento possível das colhedoras;
  • inclinação do solo: nas regiões montanhosas, a inclinação é o maior obstáculo para a adoção de tratores e implementos agrícolas. Por isso, para um trabalho seguro, a declividade precisa ser de, no máximo, 20%.

É necessário dimensionar também o tamanho da lavoura e a sua produtividade. Afinal, um trator pode trazer diversos custos relacionados à manutenção, ao combustível e à própria aquisição do produto e de insumos. Equilibrar o retorno que o investimento é fundamental para entender se o empreendimento é economicamente vantajoso.

Potência do motor

Ao avaliar a potência do motor, é necessário levar em conta o solo e o trajeto que o trator vai percorrer. Esse valor é geralmente medido por cavalo-vapor (cv). Máquinas que trabalham em terrenos irregulares ou declinados precisam de motores mais potentes.

Torque do motor

O torque é medido no Brasil por quilograma-força por metro (kgf.m). Em outras palavras, essa métrica informa quantos quilos um trator consegue carregar a cada metro. Assim, não adianta ter um motor com boa potência, mas com um torque inadequado, pois tornaria mais lentas as operações.

Consumo de combustível

Muito da viabilidade econômica de uma máquina está relacionada à sua eficiência no consumo de combustível. Confira quantos litros o trator consome por hora trabalhada, ou por hectare percorrido.

Quanto à aquisição de uma colhedora, é preciso estar atento ainda a outros detalhes, como veremos adiante.

Colhedora de café

As colhedoras de café são equipamentos que aumentam e muito a eficiência na derriça, além de contribuir para a coleta de grãos de maior qualidade. Vamos falar de algumas características que precisam ser avaliadas.

Eficiência do derriçador

O derriçador é formado por um conjunto de varetas que vibram e soltam os grãos do pé de café. O nível de vibração escolhido pelo operador determina o grau de maturação dos grãos que serão desprendidos — quanto maior a vibração, mais frutos caem.

Assim, é necessário verificar essa eficiência para saber o percentual de grãos que a máquina pode coletar.

Velocidade de trabalho

A velocidade influencia no tempo da operação de colheita. Quanto mais rápido a colhedora passa, em menos tempo o processo é concluído, mas menor também será o seu grau de aproveitamento. Por outro lado, baixas velocidades também causam um nível maior de desfolha.

Assim, além de levar em conta a carga de café e o grau de maturidade dos grãos, por exemplo, é necessário ter um cuidado especial na serra. Trabalhar em altas velocidades em regiões montanhosas poderia elevar o risco de acidentes.

Qualidade da cabine

Uma colhedora de café precisa fornecer ao operador boa visibilidade, uma vez que manobras em terrenos inclinados são operações de maior risco e exigem uma amplitude visual maior. Algumas máquinas embarcam soluções da agricultura de precisão, como câmeras e sensores, que facilitam o trabalho do operador.

Além disso, leve em conta o conforto. Bancos com amortecimento, direção ajustável, climatização e baixos níveis de ruído são especificações importantes para garantir que o operador tenha maior qualidade de trabalho.

Funcionalidades adicionais

Para elevar a viabilidade econômica da aquisição de um trator ou uma colhedora de café, é bom conferir modelos que possam ser usadas em outros tipos de operações na lavoura. Isso evita que o investimento fique ocioso por longos períodos no ano.

A adoção de tratores e outros implementos em regiões montanhosas exigem bastante planejamento para garantir o retorno do investimento e a segurança de todos os envolvidos na operação. Ao considerar todos os dados que apresentamos aqui, certamente você conseguirá alcançar a eficiência produtiva desejada.

Para começar a sua busca, confira nosso post sobre as máquinas agrícolas da Jacto

Powered by Rock Convert

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.