Agricultura familiar no Brasil: conheça as perspectivas para o futuro!
agricultura familiar no Brasil

Agricultura familiar no Brasil: importância para economia do país

É só ir a qualquer cidade do interior e você, provavelmente, verá muitas plantações. A agricultura familiar no Brasil tem importância histórica — e já responde por mais de 50% da alimentação consumida no país.

Apesar disso, ainda há muita possibilidade de crescer. Desde a implantação da Lei 11.326/2006 — que formulou as diretrizes para a agricultura familiar e empreendimentos que se enquadram nesse conceito —, muito mudou. Em 2018, o total de estabelecimentos nesse modelo chegava a 84,4%, mas a área total representava 24,3%, de acordo com o Censo Agropecuário.

Para entender melhor a importância dessa prática e quais são as perspectivas para o futuro, criamos este artigo, que foi embasado em dados do mercado e na entrevista realizada com o Especialista de Produtos da Jacto, Iago Reis de Oliveira. Confira!

Panorama sobre agricultura familiar

A agricultura familiar há muito tempo deixou de ser uma atividade de subsistência. Hoje, é uma produção estruturada, com um faturamento anual de 55,2 bilhões de dólares no Brasil. A relevância desse trabalho é verificada nos censos agropecuários.

O levantamento realizado em 2018 mostrou que essa prática é responsável pela economia de 90% dos municípios com até 20 mil habitantes. Mais que isso, 40% da população economicamente ativa depende dessa atividade, assim como 70% dos brasileiros que vivem no campo.

Por isso, o Brasil ocupa a 8ª posição entre os países que mais produzem alimentos, quando é considerada somente a agricultura familiar. Se for somada toda a produção, chega à 5ª colocação.

Por que isso acontece? Um dos motivos é a tradição da escolha da marca como a preferida, que passa de uma geração a outra. Assim, é preciso desmitificar a visão errônea de que a agricultura familiar no Brasil é simples e composta por pequenas propriedades voltadas para a subsistência.

Na verdade, existem grandes propriedades comandadas por famílias e outras com alto valor agregado, principalmente hortaliças e flores. No mundo, dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) mostram que a representatividade dessa atividade chega a 98% das propriedades.

Conceito de agricultura familiar

Essa prática consiste na produção de alimentos tradicionais e uma grande variedade de produtos — situação que a difere da agricultura industrial. Hoje, o Brasil é o maior produtor de soja do mundo e um dos maiores quando levamos em consideração os grãos. Nesse contexto, a atividade familiar tem uma representatividade de 40%, mesmo a área de cultivo sendo de apenas 25% do total.

Porém, o que compreende a agricultura familiar? No Brasil, a legislação determina que é preciso atender a quatro requisitos:

  • ter área de até quatro módulos fiscais;
  • utilizar mão de obra da própria família, de maneira predominante;
  • ter percentual mínimo de 50% da renda familiar derivada da atividade realizada no campo;
  • administrar o empreendimento com a família.

Importância da agricultura familiar

Essa prática tem grande relevância para a produção de alimentos, tanto no que se refere à quantidade quanto no relativo à variedade e base para a sustentação das famílias brasileiras. De quebra, ainda tem importante papel na geração de empregos, especialmente na zona rural, e na renda e estruturação familiar.

Quando a relacionamos à indústria agropecuária, a agricultura realizada pelas famílias ainda é um grande fornecedor de matéria-prima, por exemplo, de leite para laticínios, hortifrúti para supermercados e fábricas de sucos etc. O importante é entender que esse trabalho em menor escala atende a nichos mais específicos, especialmente produtos fabricados e manufaturados na própria unidade rural.

Nesses casos, os itens são vendidos na região e, em algumas situações, servem até para comercialização nacional e exportação. Alguns exemplos são doces, salgados, queijos, cafés, sucos e mais. Esses produtos são derivados de regiões específicas, por exemplo, o sul de Minas Gerais fornece café, queijo e doce de leite. Por sua vez, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, principalmente, abastecem o mercado com salames, embutidos e vinhos.

Deixa de ser um exagero, portanto, dizer que esse tipo de agricultura é o carro-chefe da economia brasileira. Essa atividade agrupa cerca de 4,4 milhões de famílias, que aproveitam as diversidades climática e do solo, bem como os biomas do Brasil para produzir desde palma forrageira a morango de altitude.

Peso da agricultura familiar na produção de alimentos no Brasil

Segundo dados do Censo Agropecuário de 2018, o crescimento do Brasil depende de forma direta das propriedades que exercem essa atividade. A produção representa:

  • 70% do feijão;
  • 34% do arroz;
  • 87% da mandioca;
  • 46% do milho;
  • 38% do café;
  • 21% do trigo;
  • 60% do leite;
  • 59% do rebanho suíno;
  • 50% das aves;
  • 30% dos bovinos.

Devido a todo esse impacto positivo, a agricultura exercida pelas famílias é responsável por 38% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, conforme a Embrapa. No mundo, essa atividade representa 80% de toda a produção mundial de alimentos. O cultivo está distribuído em 500 milhões de produtores rurais, que ocupam 90% das propriedades agrícolas existentes.

Benefícios da agricultura familiar

Os dados citados até aqui já evidenciam os benefícios desse tipo de agricultura. No entanto, ainda podemos citar outras vantagens. Conheça algumas delas!

Diminuição do êxodo rural

O êxodo rural, que se intensificou nas décadas de 1980 e 1990, vem diminuindo devido à qualidade de vida no campo e a possibilidade de produzir com qualidade e em alta quantidade. Essa característica contribui para a dieta básica da família brasileira, além de terem empresas focadas em desenvolver soluções para agricultores pequenos, médios e grandes.

Obtenção de políticas públicas

A União, bem como os estados e municípios, oferece diferentes vantagens para quem atua com a agricultura familiar. Entre as possibilidades estão programas de crédito, seguros de produção, aquisição de terras, incentivo à comercialização e custeio de safras.

Uma das principais iniciativas é o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Ainda existe a Política Nacional de Assistência Técnica Rural (ATER), que forma agentes para prestar serviços e capacitar os agricultores.

Certificação dos produtos

As instituições privadas, muitas vezes, oferecem certificações e selos que comprovam a qualidade, a padronização e a origem dos produtos. Esse reconhecimento incentiva a venda e se torna um benefício comercial para os produtores.

Desafios da agricultura familiar

O cenário favorável, e que está em vias de melhorar, é um ponto positivo, mas ainda há muitos desafios a enfrentar. Alguns deles são os que apresentamos abaixo. Confira!

Atração dos jovens para o campo

O êxodo rural ocorrido em anos anteriores — como já foi citado — dificultou a atração de mão de obra para o campo. Por isso, é preciso investir em equipamentos mais confortáveis para os operadores a fim de reduzir o esforço físico e melhorar a qualidade de vida e do trabalho.

Falta de extensão rural e de apoio governamental

As instituições governamentais já realizam esse trabalho de apoio necessário aos agricultores familiares. Entre eles estão o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER). Porém, o contexto ainda pode melhorar para aumentar o número de estabelecimentos e até de produtores.

Capilaridade e potencial de abrangência

Esses quesitos ainda precisam ser aperfeiçoados, já que são pequenos. Uma forma de alcançar esse objetivo é a capacitação dos produtores com o intuito de indicar como aumentar a produtividade e obter melhores resultados.

Cooperação entre agricultores

Esse aspecto é um trabalho feito, especialmente, pelas cooperativas. Por isso, elas devem focar as atividades mais a favor do agricultor, em vez de mirar o faturamento e a lucratividade.

Qualificação dos agricultores com a tecnologia

O conhecimento, o estudo e a familiaridade dos produtores com a tecnologia é indispensável. Essa é uma forma de aumentar a produtividade, desde que haja capacitação para trabalhar com as máquinas. Isso também impacta a administração da propriedade, já que existem muitos sistemas com essa finalidade e que facilitam todo o processo.

Novidades, tendências e novas tecnologias para agricultura familiar

Todas as tendências na área de agricultura familiar estão voltadas para a tecnologia. É por meio delas que será possível atrair os jovens ao campo e obter resultados mais expressivos, mesmo que a área continue a mesma.

Por isso, é essencial desenvolver equipamentos com alta tecnologia embarcada, que favoreçam o trabalho e a qualidade de vida no campo. Entre eles estão as máquinas conectadas, ou seja, aquelas que, além de realizarem a operação com mais ergonomia para o operador, focam sua qualidade e visam mais produtividade.

Ao mesmo tempo, é preciso gerar equipamentos que forneçam informações gerenciais e administrativas por meio de relatórios operacionais. Um exemplo é o DJB-20S, o primeiro pulverizador e dosador a bateria costal que se conecta a um celular e gera informações sobre a operação.

Outra tendência é a automação, que está em contínuo crescimento. Nesse caso, o benefício é retirar a carga de trabalho do operador e reduzir as tomadas de decisão frente a problemas críticos para o agricultor. Isso ocorre com a ajuda da inteligência artificial das máquinas, que determinam o que fazer a partir das informações e dos dados coletados por sensores.

Em suma, a agricultura familiar no Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer, mas o cenário é bastante positivo. A perspectiva para o futuro é de crescimento — e você também pode contribuir para chegar lá.

Como? Uma possibilidade é a sucessão familiar na agricultura. Entenda o que é e como fazer!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This