aplicação de fertilizantes

Como fazer a aplicação de fertilizantes na bordadura dos terrenos?

A aplicação de fertilizantes é um processo verdadeiramente estratégico em qualquer sistema de plantio. Seu potencial para beneficiar a produção é alto, podendo otimizar toda a colheita e representar um verdadeiro diferencial no mercado. Contudo, é natural se deparar com algumas dúvidas na hora de lidar com a bordadura dos terrenos.

Afinal, por que essa etapa da fertilização é tão essencial? Quais são os cuidados necessários para ter sucesso na aplicação? O que pode ser feito para reduzir o desperdício? Para isso conversamos com Daniel Petreli, nosso especialista em Tecnologia de Aplicação.

Neste artigo especial sobre o tema, você encontrará as respostas para essas e outras perguntas. Confira!

Como funciona a aplicação de fertilizantes na bordadura dos terrenos?

Toda área de plantio tem uma extremidade do talhão que é considerada como bordadura. Pode ser um carreador, uma área de preservação permanente, uma rodovia ou mesmo um perímetro pertencente a um vizinho. Em geral, isso significa que é preciso estar atento à aplicação de fertilizantes nessas regiões limítrofes, já que a cultura ali não encontra as mesmas condições observadas no meio da plantação.

Em áreas centrais, as plantas formam um conjunto mais estável, no qual as condições são mais homogêneas e não há fatores externos tão próximos. Além disso, a própria fertilização é mais controlada, já que o equipamento está passando diretamente pelo local.

O modo mais comum de aplicação envolve o cálculo de uma dose fixa para a área total. Em alguns casos, metodologias aliadas à tecnologia podem ajudar, fornecendo um mapeamento que delimita doses específicas para diferentes parcelas do terreno — ou seja, trata-se de uma prescrição com taxas variáveis.

A questão principal aqui é a adaptação da estratégia para dar conta das demandas específicas das bordaduras. Pode ser necessária uma aplicação mais intensa ou mais leve, de modo a minimizar os impactos ambientais em uma área de preservação, por exemplo. Afinal, não é interessante aplicar o fertilizante em áreas vizinhas.

Como aplicar fertilizantes na bordadura dos terrenos?

Em alguns casos, pode ser feita uma análise do solo para identificar se é mais interessante dosar diferentes quantidades para a faixa de aplicação e as bordaduras. Nesse caso, é importante contar com o suporte de especialistas para que o resultado alcançado seja o mais eficiente possível — além de evitar desperdício e uso excessivo do fertilizante.

Ainda que o excesso não signifique necessariamente um dano ao solo, ele representa um custo evitável. Além disso, é falsa a ideia de que mais adubo pode acelerar a fertilização devido à quantidade maior de nutrientes. Tendo isso em mente, veja algumas dicas para não errar na aplicação.

Use os produtos adequados

A qualidade e a quantidade dos produtos é fundamental para o sucesso da fertilização — tanto nas áreas centrais quanto na bordadura dos terrenos. Uma análise química do solo ajuda a identificar suas características e as demandas da plantação, sendo então o primeiro passo indicado para quem almeja realizar uma aplicação mais eficiente.

Uma dica importante é que a análise seja feita em torno de três meses antes do plantio. Assim, é possível identificar eventuais deficiências de nutrientes e encontrar a combinação mais adequada de fertilizantes para compensação.

Adote softwares e equipamentos específicos

Atualmente, os fertilizantes são trabalhados com discos centrífugos que promovem uma aplicação de 30 metros de distância. A forma de distribuição, então, é triangular, sendo a área central a que recebe uma concentração maior do produto. As extremidades, por sua vez, são menos fertilizadas, sobretudo nas bordaduras.

Um bom equipamento faz a correção dessas variações entre as faixas de fertilização. Contudo, é inviável controlar as quantidades na bordadura apenas com o sistema tradicional. Nesse sentido, a melhor alternativa é adquirir um equipamento específico para essas áreas.

Existem diferentes opções no mercado. Um equipamento para aplicar fertilizante NPK, como a Tellus 10.000 NPK, conta com um sistema inteligente de controle de bordadura. Essa tecnologia foi desenvolvida especificamente para evitar o depósito de produtos em áreas indesejadas.

O que esses equipamentos fazem é alterar o ponto de queda do fertilizante no disco para concentrar e distribuir o fertilizante para dentro da área.

Como evitar desperdícios?

Até pouco tempo atrás, as adubadoras a lanço não tinham precisão suficiente para cobrir bordaduras da maneira mais adequada. Então, era preciso escolher entre desperdiçar uma certa quantidade de produto em áreas vizinhas ou prejudicar a aplicação na borda para não atingir esses terrenos. Felizmente, a tecnologia evoluiu de uma forma bastante interessante no setor.

A Jacto, referência no assunto em mais de 100 países, desenvolve soluções como a Tellus 10.000 NPK, citada no tópico anterior, e a Uniport 5030 NPK. São equipamentos com controles automatizados de bordadura. Neles, a distribuição é feita de maneira concentrada dentro do talhão, melhorando a eficiência do uso de produtos em todo o terreno.

Por isso, a primeira dica essencial é adotar tecnologias confiáveis. Um fornecedor com boa reputação e ampla experiência no atendimento ao cliente é um diferencial valioso. Não à toa a Jacto se destaca tanto nesse mercado.

Monitore o terreno e controle a dosagem

Somado a isso, é interessante dar atenção especial a outro fator: o monitoramento da plantação. Acompanhar de perto o desenvolvimento das plantas ajuda a identificar eventuais áreas da bordadura que não estejam acompanhando o ritmo adequado. É preciso ter em mente, por exemplo, que esses pontos costumam ser mais afetados por ventos e outros fatores externos.

Uma tecnologia que usa GPS para mapear o terreno e definir a estratégia de fertilização pode cobrir a área toda da maneira mais adequada possível, sem deixar falhas. Elas ajudam a traçar um plano que não só compensa as necessidades da bordadura, como é mais eficiente na distribuição do material.

Aqui, vale a pena destacar uma última dica: a atenção à quantidade de produtos. Um dos erros mais comuns na fertilização é justamente a alteração da dosagem especificada. Quando um equipamento de alta precisão — como os da Jacto — calcula as quantidades para cada área do terreno, não há motivo para fazer um reforço na bordadura, pois o funcionamento do NPK é extremamente eficaz.

Levando essas práticas para seu dia a dia, a aplicação de fertilizantes se tornará mais fácil e certeira. Portanto, faça um bom planejamento e conte com o que há de melhor em tecnologia para reduzir custos com desperdício. Além de garantir o desenvolvimento saudável da sua plantação, você reduz os impactos ambientais e estabelece processos mais eficientes em sua propriedade!

Gostou do post? Então, entre em contato com a Jacto e conheça mais a fundo o funcionamento dessa tecnologia!

Compartilhe !

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.