Biodiversidade e agricultura

Biodiversidade e agricultura: como ser sustentável no agronegócio?

O guia completo das melhores práticas de adubação

No universo dos investimentos, quando são incorporadas questões ambientais, sociais e de governança como critérios de análise, diz-se que se trata de um investimento ESG (Environmental, Social and Governance). ESG está no topo das prioridades corporativas, especialmente no Brasil, onde biodiversidade e agricultura estão dando as mãos.

Negócios sustentáveis, portanto, vão atrair clientes e investidores cada vez mais. Do mesmo modo, a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) também se tornou uma febre entre os investidores, tudo no rastro do agronegócio sustentável. Você não pode ficar de fora.

Continue a leitura e descubra como ser sustentável no agronegócio.

Invista em fontes de energia renovável

Fontes de energia renovável combinam muito bem com os princípios de sustentabilidade e de preservação da biodiversidade que devem ser praticados em uma propriedade rural. Na verdade, sua utilização reduz a dependência e fortalece a integração do produtor com o ambiente onde vive.

O que significa energia renovável?

Renováveis são os recursos que podem ser repostos (ou renovados) e que, desse modo, garantem sua utilização agora e para as gerações futuras. Assim, uma fonte de energia renovável não se esgota com o uso — por exemplo, a energia solar: pode-se usar à vontade que não vai acabar.

Estufas para secagem e desidratação de vegetais podem fazer uso direto da energia solar. Por sua vez, células fotovoltaicas permitem utilizar a luz solar e transformá-la em energia elétrica utilizável em diversos pontos da propriedade.

O mesmo se pode dizer da velha roda d’água tocando um moinho ou um monjolo, simples e pequeno ou muito grande, todos funcionam muito bem. Existem indústrias tradicionais tocadas por roda d’água.

Por outro lado, os combustíveis fósseis não são fontes renováveis. As reservas de petróleo do mundo estão se esgotando e um dia vão acabar.

Use sistemas de irrigação inteligentes

A agricultura de precisão trouxe inovações tecnológicas que aprimoram as atividades agropecuárias com vantagens para o meio ambiente. Um dos aspectos ambientais mais críticos para o agronegócio é constituído pelos elevados números referentes ao volume de água consumida pelos processos de irrigação.

A telemetria pode otimizar a eficiência dos processos de irrigação da lavoura com economia de milhares de litros de água. E a irrigação é apenas uma das atividades na propriedade que podem ser automatizadas.

O que é a telemetria?

A telemetria é a condução dos trabalhos de um determinado equipamento, realizada a distância. Assim, no caso da irrigação da lavoura, sensores instalados no campo podem informar a necessidade de água no solo e acionar o sistema de irrigação apenas quando for preciso de fato.

Associada aos sistemas de aplicação de água por gotejamento, a telemetria permite uma economia imensa de água na propriedade. Esse é um dos exemplos mais comuns do agronegócio sustentável com base em tecnologia na agricultura.

Aposte na biogenética para plantação adaptada ao meio

A biotecnologia e a engenharia genética aprimoraram as clássicas iniciativas do melhoramento genético animal e vegetal. Com isso, cultivares específicas são desenvolvidas adaptadas ao meio em que são cultivadas: é a biogenética na agricultura.

A partir de iniciativas dessa natureza, é possível, por exemplo, garantir determinado produto durante todo o ano. Da mesma forma, resistindo a doenças e pragas, todo o potencial da planta pode ser manifestado na produção sem a utilização ou com pouco uso de defensivos agrícolas.

Adote maquinário tecnológico para cultivo da lavoura

A tecnologia desenvolveu máquinas agrícolas especialmente produtivas e precisas em sua operação. Uma plantadeira, por exemplo, consegue colocar no solo a quantidade exata de sementes para que se obtenha o melhor estande, sem perdas na semeadura.

Do mesmo modo, um equipamento pulverizador pode regular com precisão a quantidade de produto aplicado sem excessos ou perdas contaminantes do meio ambiente. O mesmo pode ser dito para as operações de aplicação de fertilizantes, que podem ser totalmente controladas.

Implemente a prática de rotação da cultura

A rotação de culturas consiste em evitar sucessivos cultivos da mesma espécie ou de espécies afins nas mesmas áreas de plantio. Dessa forma, cada vez que uma cultura encerra sua colheita, outra a substitui. Por exemplo, após a colheita do milho, pode-se plantar uma leguminosa como o feijão.

Essa prática de fazer um rodízio de culturas em uma área traz inúmeros benefícios que podem ser assim resumidos, entre outros:

  • exigências nutricionais diferentes (não retira os mesmo nutrientes do solo);
  • redução no ciclo de pragas e doenças (espécies diferentes, pragas e doenças geralmente diferentes);
  • redução no ciclo de plantas daninhas (algumas plantas invasoras se desenvolvem junto a uma cultura, mas se inibem diante de outra).

Opte pelo uso de fertilizantes naturais

A fertilização e o condicionamento dos solos é uma área do manejo agrícola que permite diferentes ações sustentáveis. Nesse sentido, podem ser consideradas iniciativas tradicionais aprimoradas pelo conhecimento científico e apontadas a seguir.

Adubação verde

Trata-se do cultivo de espécies particularmente adequadas para esse fim com vistas à sua incorporação no solo, ou mesmo a utilização de restos vegetais que serão incorporados ao solo. Constitui uma maneira prática de retorno da matéria orgânica e as vantagens que disso resultam: refresca o solo, aumenta sua capacidade de retenção de água, retorna nutrientes.

Composto orgânico

O composto orgânico consiste em restos de vegetais amontoados em camadas sucessivas intercaladas por camadas de solo e periodicamente umedecidas sem encharcamento e reviradas. Forma-se um monte para que se processe a decomposição natural com a transformação de toda a massa no chamado composto orgânico.

Farinha de ossos, torta de mamona

Ossos moídos constituem uma excelente fonte de fósforo e cálcio para a lavoura. Do mesmo modo, a torta de mamona, um subproduto da extração do óleo de rícino, constitui-se em um excelente fertilizante orgânico, além de seu efeito inseticida e nematicida para proteção das plantas cultivadas.

O Brasil vem se adequando ao compromisso de desenvolvimento sustentável firmado pela Agenda 2030, no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU). A adoção de práticas sustentáveis relacionando biodiversidade e agricultura facilita a entrada de novos investidores e fortalece o produto nacional para exportação. É a vez do agro sustentável.

Se você gostou deste post, continue conosco em nossas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Quer ainda mais dicas? Cadastre-se agora para receber nossa newsletter!

receba nossos conteúdos exclusivos gratuitamente por email!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

2 Comentários

  1. Bem aprendi que é necessário ter produção de água 100%!!! Para gastar 70% com esse recurso para quem tem controle no consumo de aspersão, não seria Muito econômico visto que a aspersão contribuí muito na irrigação mas gasta muitos litros por evaporação num dia quente! Isso poderia ser feito a noite ou bem de manhã onde não haja vento e nem calor, uma temperatura de 22°C teremos baixíssima evaporação, como também aproximar mais os aspersores do ponto a ser irrigado, usando nossa produção de água gerada por energia solar adaptado de modo extratégico podemos fornecer um projeto inovador e sustentável 97% Sustentável, nossa empresa é pequena mas é grande em aplicação em técnologia hídrica, zero de consumo de energia pois o sistema é funcional com energia solar e quanto mais quente o ambiente for mais água produz!!

    1. Isso mesmo, Edson. É muito importante ser sustentável no agronegócio! 🤠☘️

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.