GPS em máquinas agrícolas: confira por que usar!

GPS em máquinas agrícolas: por que usar?

Se no passado já foi considerado um item de luxo, hoje em dia o GPS agrícola para pulverização e demais operações é um equipamento acessível também aos pequenos e médios produtores, e já se mostra essencial para quem quer produzir com mais economia e eficiência.

Combinando o GPS com sistemas de informações geográficas (SIG), é possível realizar a chamada agricultura de precisão, que é o uso da tecnologia para lidar com a variabilidade do solo e do clima nas lavouras. Com isso, os adubos e defensivos agrícolas são mais bem dosados, o que reduz os custos, aumenta a produtividade e diminui a contaminação do meio ambiente.

Neste artigo, explicamos melhor as vantagens do GPS em máquinas agrícolas e quais são os resultados esperados para os produtores que adotam essa tecnologia, sejam eles de pequeno, médio ou grande porte. Confira!

Como funciona a agricultura de precisão?

Como falado, na agricultura de precisão o produtor utiliza a tecnologia a fim de obter dados sobre o solo e o clima, permitindo a aplicação de insumos como defensivos e adubos de forma mais inteligente e controlada.

Uma das tecnologias essenciais para a agricultura de precisão é o famoso GPS, ou Posicionamento Global por Satélite. Com o GPS agrícola para pulverização e adubação, é possível elaborar um mapa da área de produção com grande riqueza de detalhes.

Isso vai permitir que o produtor saiba exatamente qual parte da sua lavoura vai precisar de determinado insumo, como um fertilizante ou defensivo agrícola, impedindo que ele faça uso de tais substâncias de maneira indiscriminada. Essa precisão contribui para a redução da contaminação dos alimentos e do meio ambiente. Além disso, faz com que o custo da produção seja bem menor.

É importante destacar que a agricultura de precisão hoje não se restringe a espaços ou culturas específicas. Ela pode ser aplicada em lavouras de qualquer tamanho, em qualquer lugar e para qualquer cultivo.

Com a agricultura de precisão, é possível obter resultados melhores em todos os processos produtivos, graças ao valor que tanto a tecnologia quanto as novas técnicas agregam ao manejo.

Em alguns casos, as técnicas da agricultura de precisão podem revelar que determinado insumo aparentemente indispensável é, na verdade, desnecessário, simplificando e reduzindo os custos da lavoura. A certeza dos dados supera qualquer “achismo” do produtor.

Outra vantagem da agricultura de precisão é o aumento da produtividade: como o produtor tem acesso a dados precisos sobre cada tipo de solo e as suas variações, ele é capaz de definir com muito mais segurança a variedade mais adequada para cada local e quais pontos merecem atenção e técnicas especiais.

Qual é o porte necessário para investir em agricultura de precisão?

A agricultura de precisão chegou ao Brasil por volta da década de 1990. Na época, empresas multinacionais ofereciam aos grandes produtores equipamentos importados que mapeavam a produtividade das lavouras de grãos.

O alto preço e a falta de conhecimento técnico fizeram com que, nessa primeira etapa, a agricultura de precisão ficasse restrita apenas aos grandes agricultores.

Mas isso mudou nos últimos anos, com pesquisas desenvolvidas em universidades federais que ampliaram as possibilidades da agricultura de precisão para além do plantio de milho e soja, diversificando também as técnicas de manejo dos cultivos.

E o mais importante: as tecnologias que formam a base da agricultura de precisão, que são o GPS e o SIG, hoje são totalmente acessíveis para o pequeno e médio produtor. E isso tanto no preço quanto na questão técnica, já que o treinamento é simples e barato (e muitas vezes fornecido gratuitamente pela mesma empresa que vende os equipamentos).

Quais são as vantagens do GPS em máquinas agrícolas?

O benefício mais claro do GPS em máquinas agrícolas é a possibilidade de elaborar mapas detalhados da lavoura, com base em amostras do solo georreferenciadas e outras informações relevantes, como locais que já registraram ocorrência de pragas.

Depois que esse mapa é feito, é possível que pulverizadores apliquem com o máximo de exatidão os insumos, por exemplo. O objetivo aqui é evitar desperdícios por meio do uso da tecnologia e dos processos automatizados.

Além disso, com uma navegação guiada por GPS, a redundância do trajeto das máquinas é reduzida: as rotas automáticas vão fazer com que elas praticamente passem só uma vez em cada lugar, diminuindo o consumo de combustível e as falhas na semeação, colheita e aplicação de produtos. Além disso, o trabalho é feito de forma muito mais rápida.

E com a monitoração de dados de rendimento a partir de um GPS instalado em uma colheitadeira, por exemplo, é possível melhorar a preparação de certas áreas antes da próxima colheita.

Em culturas perenes, como é o caso do café, da uva e da laranja, o GPS também é interessante a fim de identificar em quais áreas estão sendo encontrados riscos ou oportunidades que merecem a atenção imediata do produtor.

Como reduzir custos com o GPS em máquinas agrícolas?

Além de todos esses benefícios já citados, o GPS também permite uma redução dramática das despesas de uma lavoura, indo além daquelas inerentes à agricultura de precisão. Com o equipamento, é possível controlar remotamente as máquinas, otimizando todas as etapas do cultivo, do plantio à colheita.

Com o controle automatizado e remoto das máquinas, a quantidade de paradas delas é reduzida, já que elas não estão mais dependentes de um operador humano. 

Uma vez que o trabalho é feito de forma mecanizada, também são menores as chances de erros, como exagero na hora de aplicar um defensivo agrícola ou no caso de uma distração do operador que prejudique parte da colheita. 

Como funciona a aplicação do GPS na pulverização?

Muitos fatores interferem na eficiência dos defensivos: velocidade do vento, regulagem dos bicos, altura da barra, preparação da calda, temperatura, umidade, entre outros. Dar atenção a essas questões é fundamental para uma aplicação bem-feita e com o menor grau de deriva possível a fim de atingir em cheio o alvo, e somente ele.

No entanto, o trajeto da máquina e a velocidade da operação também impactam a qualidade da aplicação, pois podem determinar a sobreposição dos jatos. Nesse quesito, o GPS agrícola para pulverização traz muitos benefícios ao agricultor no que se refere ao mapeamento da lavoura.

Por meio de um sistema de posicionamento, o operador consegue trabalhar com maior exatidão, sem deixar áreas sem aplicar ou passar por onde o produto já foi aplicado. Conheça algumas das funcionalidades que o GPS agrícola para pulverização fornece.

Geração de mapas

Ao gerar mapas, o agricultor consegue visualizar de forma mais precisa o que já foi feito. Se o produtor tem essas informações de forma mais precisa e rápida, é possível planejar e intervir por meio de estratégias que aumentem a produtividade da operação e garantam maior proteção aos recursos naturais.

O GPS também pode mapear infestações de pragas e ervas daninhas. Dessa forma, áreas críticas podem ser identificadas e mapeadas para futuras operações. Assim, os defensivos poderão ser aplicados somente onde é necessário, reduzindo a deriva e a quantidade de produtos aplicados.

Acompanhamento em tempo real

Além da geração de mapas estáticos sobre as condições da lavoura, o GPS agrícola para pulverização auxilia o agricultor no monitoramento da operação no ato. Isso significa que é possível acompanhar o que está acontecendo na lavoura em tempo real.

O sistema OtmisNet é uma ferramenta que usa essa tecnologia. Por meio do portal, o agricultor visualiza a movimentação das máquinas compatíveis, bem como dados importantes para avaliar e controlar a qualidade da pulverização. Por exemplo, equipada com sensores, a máquina pode enviar informações sobre:

  • temperatura;
  • pressão do óleo;
  • condições do solo;
  • consumo de combustível;
  • alarmes do sistema;
  • taxa de volume aplicado.

Gravação da operação

O GPS agrícola é uma ferramenta base para o recurso de piloto automático. Ou seja, a máquina pode seguir sozinha (sob o monitoramento de um operador) e com grande precisão um trajeto predefinido via software.

Quando a máquina é direcionada via GPS, ela dispensa a intervenção constante do operador, possibilitando maior aproveitamento do pulverizador, uma vez que ele pode ser utilizado em períodos mais longos e em horários que seriam difíceis para o profissional guiar sozinho.

A tecnologia abre margem para muitas possibilidades. Por exemplo, uma primeira operação de pulverização realizada por um operador mais experiente e gravada para ser reproduzida automaticamente com a supervisão de um operador menos habilitado.

Operações gravadas, juntamente com os dados estatísticos em torno da produtividade, também compõem um banco de dados rico que pode ser usado para a tomada de decisões. Essa tecnologia caminha para os futuristas veículos totalmente autônomos.

Controle da aplicação

A geração de mapas, o gerenciamento remoto e as outras ferramentas e tecnologias relacionadas ao GPS agrícola aumentam o controle da aplicação, garantindo que o produtor atinja o máximo de eficiência em suas operações de pulverização.

Mas os benefícios do GPS não se restringem à aplicação de defensivos. Confira como ele dá suporte a outras atividades da lavoura.

Quais benefícios o GPS traz para as operações de colheita?

Os mesmos princípios aplicados na pulverização com o GPS podem ser utilizados em outras operações da propriedade, como na colheita.

O mapeamento via satélite permite que o produtor consiga economizar combustível e garantir maior precisão ao passar com a colhedora no talhão. Os dados coletados servem de base para o planejamento de como e quando a operação será realizada, tornando as atividades mais baratas e precisas.

Dessa forma, é possível reduzir perdas na safra, garantir a colheita de tudo o que foi plantado e evitar o amassamento da cultura nessa e em outras operações. Com o GPS, é possível levantar dados sobre a produtividade de toda a lavoura, detectando pontos que podem ser melhorados.

Como o GPS garante maior precisão na semeadura?

Toda máquina semeadora precisa cumprir algumas funcionalidades básicas, como:

  • abrir um sulco;
  • quantificar a dosagem de fertilizantes e sementes;
  • inserir a semente ou o fertilizante no sulco;
  • cobrir com terra o fertilizante e a semente;
  • fazer uma compressão lateral da semente.

Falhas durante essa etapa dificilmente são corrigidas pela planta posteriormente, impactando os resultados da safra lá na frente. Por isso, o GPS agrícola se tornou um dos dispositivos adotados nessa operação para direcionar as máquinas e facilitar o paralelismo na semeadura, até mesmo dispensando o marcador de linha. Esse recurso é especialmente útil em atividades noturnas, quando o operador precisará apenas monitorar o desempenho da semeadura.

Segundo o artigo Manobras de Semeadura com Sistema de Navegação, o GPS acoplado a um piloto automático permitiu manobras 49% mais rápidas do que o direcionamento manual, resultando em uma economia de R$19,90 por hectare.

O GPS agrícola pode elevar a eficiência na aplicação de fertilizantes?

O GPS agrícola trabalhando com outras ferramentas da agricultura de precisão, como o piloto automático, pode trazer melhores resultados também na adubação, pois se torna possível levar em conta a variabilidade do solo. Como assim?

Amostras georreferenciadas do solo e softwares são utilizados para criar mapas de fertilidade, informando as necessidades nutricionais de cada área da propriedade. Com esses dados, a máquina passa pela lavoura e aplica o fertilizante de acordo com a demanda de cada quadrante.

Isso não quer dizer que os custos com fertilizantes serão inferiores. Na verdade, a quantidade de produtos aplicados vai depender das necessidades específicas do solo. Então, quais são as vantagens dessa técnica?

O grande benefício é a exatidão nas decisões tomadas, pois são realizadas com base em dados concretos. Afinal, uma adubação malfeita pode resultar em quedas acentuadas de produtividade e desperdício de nutrientes. A superdosagem poderia devastar uma lavoura. Por outro lado, aplicar de menos promove a carência nutricional das plantas, deixando-as mais vulneráveis a pragas e reduzindo o seu potencial de produção. Obviamente, esses problemas são sentidos na perda da lucratividade do negócio.

Hoje, o GPS agrícola para pulverização já é algo totalmente acessível para pequenos e médios produtores, assim como toda a agricultura de precisão em si. Esses recursos deixaram de ser uma opção de luxo e, por oferecerem um excelente custo-benefício, se tornaram indispensáveis ao agricultor que quer extrair os melhores resultados das suas lavouras.

E você, já utiliza essa tecnologia? Pensa em modernizar as operações na sua propriedade? Tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário no post!

Powered by Rock Convert

Comments (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This