Como a produção de soja pode melhorar com novas tecnologias?

Como a produção de soja pode melhorar com novas tecnologias?

O agronegócio é uma das fontes mais importantes para o PIB brasileiro e representa mais de 20% de tudo o que é produzido no país. E, com boas safras seguidas, a produção de soja é um dos destaques da agricultura nacional.

Mesmo assim, os produtores desse grão estão constantemente em busca de novas tecnologias e boas práticas para aumentar a produtividade das suas lavouras. O objetivo é quase sempre o mesmo: produzir mais com menos custos e, assim, garantir a competitividade do produto. Tudo isso sem se esquecer do meio ambiente e da qualidade dos grãos.

Para isso, vale a pena acompanhar as novidades e apostar em tecnologias que auxiliam no aumento da produção, na economia e na sustentabilidade. Quer conhecer algumas delas? Então, confira agora como a produção de soja pode melhorar com novas tecnologias!

Desafios na produção de soja

Quem vê os bons números da produção de soja e as notícias sobre safra recorde pode imaginar que os produtores têm vida fácil. No entanto, quem trabalha no campo sabe que não é bem assim. Entre os principais desafios enfrentados, destacam-se:

  • baixa qualidade de insumos, como sementes e fertilizantes;
  • fatores climáticos, como falta ou excesso de chuva;
  • custos de produção elevados;
  • dificuldade de conciliar as tarefas de agricultura com a administração do negócio;
  • falta de acesso a novas tecnologias;
  • variação do preço de venda devido a fatores econômicos nacionais e internacionais;
  • proliferação de pragas e doenças, como lagartos ou ferrugem;
  • compactação do solo.

Portanto, apesar dos desafios, os bons resultados são obtidos com muito esforço dos produtores e com a adoção de tecnologias para aumento de qualidade e produtividade. Veja o que pode ser feito a fim de manter a força da produção de soja nas lavouras brasileiras!

Adubação e fixação de nitrogênio

A adubação tem influência direta no resultado da lavoura, nos custos da produção e no impacto ambiental da agricultura. Para otimizar todos esses aspectos, a fixação biológica de nitrogênio pode ser uma boa saída.

Trata-se de um processo pelo qual bactérias transformam o nitrogênio presente da atmosfera, para que ele possa ser utilizado pelas plantas. Essas bactérias fixadoras são adicionadas às sementes durante a semeadura.

Se a fixação de nitrogênio não for utilizada, é necessário empregar adubos nitrogenados. Esse material pode representar um grande custo: ele tem baixa eficiência porque boa parte se perde no solo. O material pode, ainda, acabar contaminando a terra e a água de rios e lagos, prejudicando diversas espécies.

Assim, a adoção das técnicas de fixação de nitrogênio em substituição aos adubos nitrogenados é capaz de reduzir custos para o produtor e ainda melhorar o aspecto ambiental da produção de soja.

Tecnobroto e iniciativas da Embrapa

A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) é uma das principais desenvolvedoras de tecnologia para a produção agropecuária no Brasil. Além de desenvolver, ela também auxilia produtores na aplicação dessas tecnologias.

Entre as soluções da Embrapa para produção de soja, o equipamento denominado Tecnobroto é o grande destaque. Com ele, é possível produzir brotos de soja sem o uso do solo, de fertilizantes e de defensivos agrícolas. Ele é montado utilizando:

  • bomba de PVC para depósito de água;
  • bombas para drenagem;
  • caixa-d’água;
  • mangueiras;
  • temporizadores para controlar a irrigação;
  • materiais elétricos e hidráulicos;
  • controladores de temperatura e nível da água.

Segundo a Embrapa, com um investimento baixo, é possível montar o Tecnobroto e garantir um rendimento de 5 a 12 quilos de broto para cada quilo de semente.

Além do Tecnobroto, a Embrapa desenvolve constantemente outras iniciativas, principalmente para obter cultivares cada vez mais eficientes, para o controle de pragas e patologias, entre outras.

Fertilizantes especiais e cultura orgânica

Os fertilizantes são capazes de aumentar consideravelmente a produção de soja sem que seja necessário ampliar a área cultivada. Eles garantem que o grão obtenha os nutrientes necessários, complementando e ajustando aqueles já presentes no solo.

Os fornecedores de fertilizantes especiais têm visto suas vendas crescerem desde que o mercado começou a entender a importância do seu uso. Entre os produtos, estão:

  • orgânicos;
  • organomineral — fertilizantes orgânicos adicionais de matérias minerais;
  • foliar — adubos absorvidos pelas folhas, geralmente pulverizados sobre a plantação:
  • substrato para plantas;
  • condicionadores de solo.

Com o desenvolvimento de fertilizantes orgânicos de alta qualidade, muitos produtores estão optando por esse tipo de cultura. Já é possível produzir orgânicos em larga escala, impulsionando o crescimento desse setor no país. Na soja, o grão orgânico tem valor de venda elevado em relação ao comum, o que atrai cada vez mais agricultores.

Agricultura de precisão

A agricultura de precisão se baseia no uso de tecnologia para avaliação do solo, da colheita, mapeamento de pragas e doenças e medição da produtividade da lavoura de uma maneira geral. Entre as ações possíveis graças à agricultura de precisão, estão:

  • análise localizada do solo, permitindo tratamento diferente das áreas do mesmo terreno;
  • uso de fertilizantes e defensivos em taxas variadas, conforme a necessidade real;
  • mapeamento de pragas e doenças constantemente;
  • medição de colheita.

Ou seja, usando a tecnologia, os produtores são capazes de direcionar os insumos para as partes da lavoura que realmente precisam deles. Assim, a agricultura de precisão gera economia, redução do preço de produção, diminuição do impacto ambiental e aumento da produtividade.

Entre os equipamentos utilizados nesse tipo de agricultura, destacam-se as máquinas agrícolas com funções como:

  • sistema de posicionamento e navegação;
  • piloto automático;
  • controle de pulverização bico a bico,
  • controle automatizado de dosagem.

Enfim, a tecnologia está cada vez mais presente no campo e precisa fazer parte da rotina das fazendas.

Transferência de tecnologia

A transferência de tecnologia, como o nome sugere, se refere à prática de incentivar a troca de informações entre produtores, empresas fornecedoras do setor agrícola, profissionais de agronomia e os demais envolvidos nas atividades no campo.

No Brasil, o principal órgão que incentiva esse tipo de ação é a Embrapa. Mas as associações de produtores e os próprios fornecedores também são uma excelente fonte para transferência de tecnologia. Manter-se atualizado é fundamental a fim de garantir competitividade.

Para finalizar, lembramos que o uso de tecnologia é benéfico aos produtores, ao meio ambiente, aos trabalhadores do campo e até mesmo ao consumidor final. Portanto, a produção de soja e de outros cultivos tem muito a ganhar o uso dessas soluções.

E aí? Gostou de conhecer mais sobre as tecnologias na produção de soja? Quer acompanhar tudo que acontece no mundo agrícola? Siga nossas redes sociais para não perder nada! Estamos no Facebook, Twitter, YouTube e Instagram!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This